Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) chamou de engodo a metodologia da pesquisa para medir o desemprego no Brasil, acrescentando que ela só serve para maquiar os dados verdadeiros. Isso porque, disse o senador, a pesquisa se restringe a seis capitais, o que, em seu entender dele, não demonstra a realidade do desemprego no país.

Ataídes Oliveira explicou também que há no Brasil, além dos 8,6 milhões de mil trabalhadores oficialmente desempregados,  9,3 milhões de pessoas recebendo o seguro-desemprego. Só que essas pessoas não são computadas na pesquisa do governo:

- Se nós pegarmos os trabalhadores que estão procurando emprego e que dentro de 30 dias não conseguirem achar emprego, eles saem das estatísticas de desempregados para desalentados. Hoje, nós temos 9,3 milhões de trabalhadores no seguro-desemprego. Ele é considerado empregado também nessa estatística. E os 'nem-nem', que  nem estudam nem trabalham são 10 milhões. Isso significa que hoje nós temos não 8,6 milhões de trabalhadores desempregados: nós temos 29,5 milhões de trabalhadores desempregados.

Ataídes Oliveira comunicou ainda que apresentou requerimento convidando o ministro do Trabalho e a presidente do IBGE para discutir, n Comissão de Assuntos Econômicos, a metodologia das pesquisas sobre desemprego. Mas a resposta que obteve do Ministério do Trabalho, disse, foi de que o assunto seria irrelevante.