Estado

Foto: Divulgação

A solicitação do deputado estadual Jorge Frederico que pede explicações da Agência Nacional do Petróleo – ANP sobre o preço do gás no Tocantins, um dos maiores do país gerou polêmica na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 7. O pedido requer uma explicação para a diferença gritante no preço.

Segundo Jorge Frederico, é preciso entender qual  o cálculo feito para se chegar ao preço de R$ 75 reais sendo que em outros estados o valor pago é em torno de R$ 45.“Não entendo porque uma discrepância dessa”, disse.

O deputado do SD, Amélio Cayres afirmou que  na Bahia, por exemplo, o valor chega a ser R$ 30 a menos que no Estado e sugeriu a convocação de um representante da ANP. “Sugiro aqui inclusive uma convocação para que alguém da ANP possa vir á Comissão do Consumidor explicar”, disse.

Além de Amélio Cayres, os deputados Valdemar Junior (PSD) e Olyntho Neto também subscreveram o pedido.

Mais caro

O preço do gás de cozinha no Tocantins é um dos mais caros do Brasil, segundo uma pesquisa feita pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). Após o reajuste de 15%, no último dia 1º de setembro, o preço do botijão de gás em Palmas passou a ser o mais caro entre as capitais e o Distrito Federal, com o preço médio de R$ 73,20. A pesquisa também foi realizada em Gurupi, no Sul do Tocantins, onde o valor do produto ficou entre R$ 60 e R$ 68.

Segundo a ANP, o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) foi pesquisado em 25 postos de revenda em Palmas e 33 em Gurupi.