Esporte

A delegação da Guatemala, formada por 25 integrantes da etnia Maya, comparecerá aos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas com a responsabilidade de assumir a celebração e com o ânimo de viver a experiência de outros países e de contribuir com as iniciativas de cada um, afirma a líder do grupo guatemalteca, Marta Eulália Estrada Xicará de Leiva. Para a delegação, os olhares do mundo estarão voltados para a magia e mistério do Mundo Maya, a partir do dia 20 de outubro, em Palmas.

“Esperamos levar o conhecimento de nossa cultura. O mundo vai conhecer o patrimônio histórico, natural e cultural da Guatemala, além dos coloridos trajes típicos e a amabilidade de nossa gente, origem e destino de uma biodiversidade única no mundo”, diz Marta.

Certamente sediar os próximos jogos será histórico para nós. “Aproveito para reiterar ao mundo que os povos indígenas não são amantes da guerra nem buscam caminhos beligerantes que levam à violência e à explosão de conflitos. Os povos indígenas são herdeiros de seus ancestrais, são guardiões do princípio universal da paz, da concórdia, da justiça e da dignidade entre todos os povos da terra”, acrescenta.

A Guatemala tem sua história marcada pela civilização Maya, que habitou o território do país durante todo o período pós-clássico, até a conquista do Iucatã pelos espanhóis. Além da Guatemala, os mayas viveram em Honduras, Belize, na parte sul do México e na parte oriental de El Salvador.