Estado

Foto: Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins (Sintras/TO), encaminhou nota à imprensa afirmando descumprimento de acordo por parte do Governo do Estado com os servidores públicos da Saúde. Segundo o Sindicato, no sábado, 10, o governo creditou na conta dos servidores o salário sem os valores dos direitos acordados em assembleia no início de 2015, como o adicional noturno garantido na Lei n° 2670, de 19 de dezembro de 2012.

De acordo com a diretoria do Sindicato, o governo deve priorizar quem cuida da saúde. “É inadmissível que o Governo não priorize quem cuida da saúde, trabalha tanto de dia quanto de noite, e ainda muitas vezes em condições precárias de trabalho”, segundo o Sintras em nota.

O Sindicato cobrou respeito: “Governador Marcelo Miranda! Cadê o respeito? Cadê a consideração por quem trabalha contribuindo para o crescimento deste Estado? Essa preocupação não pode estar somente no servidor, mas, também em quem administra a máquina pública”, segundo o Sintras.

Segundo o Sintras, a diretoria do Sindicato estará convocando a base nos próximos dias para discutir e definir ação direta para exigir do governo o pagamento dos direitos estabelecidos em Lei. 

Confira nota na íntegra 

Governo dá calote em servidor mais uma vez descumprindo acordo e Sintras irá reagir

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Tocantins – Sintras/TO - vem através desta nota expor a indignação dos servidores públicos da saúde, mais uma vez, em virtude do descumprimento do que foi acordado com a categoria.

Neste sábado, 10, o Governo creditou na conta dos servidores o salário sem os valores dos direitos acordados e que já estão atrasados, e, que foram aceitos pela categoria em Assembleia no início deste ano, como o adicional noturno garantido na lei nº 2670, de 19 de dezembro de 2012.

Conforme a diretoria do sindicato é inadmissível que o Governo não priorize quem cuida da saúde, trabalha tanto de dia quanto de noite, e ainda muitas vezes em condições precárias de trabalho.

Além disso, os servidores não são culpados da má administração, seja deste ou de governos anteriores, pois cada um não deixou e continua cumprindo sua função com responsabilidade e assiduidade.

E ainda vale lembrar que os servidores dispensaram crédito ao Governo aceitando as condições viáveis de pagamento dos valores apresentada pelo próprio governo.

Também interromperam a paralisação de 36 horas, realizada nos dias 30 e 31 de março do corrente ano, apostando que receberia os direitos acordados.

Governador Marcelo Miranda! Cadê o respeito? Cadê a consideração por quem trabalha contribuindo para o crescimento deste Estado?. Essa preocupação não pode estar somente no servidor, mas, também em quem administra a máquina pública.

Portanto, a diretoria do Sintras não admite esse tipo de calote e estará convocando a base nos próximos dias para discutir e definir ação direta para exigir do Governo o pagamento dos seus direitos estabelecidos em Lei.

O acordo foi definido e assinado em 17 de abril deste ano, e reafirmado com novo documento em 24 de julho último.

Por: Redação

Tags: Governo do Estado, Sintras