Economia

Foto: Divulgação

 A Secretaria de Estado de Defesa e Proteção Social (Sedeps), por meio Superintendência Estadual de Proteção dos Direitos do Consumidor (Procon-Tocantins) divulgou pesquisas de preços de combustíveis realizadas em 50 postos na Capital e ainda no Distrito de Taquaruçu. A pesquisa foi realizada na última terça-feira, 13, pela equipe de fiscalização do órgão. 

As pesquisas apontam uma variação de R$ 0,20 nos preços da gasolina, R$ 0,57 no etanol e R$ 0,49 no diesel entre um estabelecimento e outro. O menor preço da gasolina registrado foi de R$ 3,59, em posto de combustível na região norte de Palmas. O maior preço da gasolina encontrado foi o de R$ 3,79, na região central. O etanol pode ser encontrado pelo menor preço a R$ 2,52 e o maior preço a R$ 3,09. Já o diesel é encontrado na Capital, ao menor preço de R$ 2,68 e o maior de R$ 3,17.

 O Procon alerta ao consumidor que pesquisar bem antes de encher o tanque do carro pode render uma grande economia no final do mês, lembrando que a pesquisa foi realizada após o aumento dos combustíveis. O aumento no valor do litro por combustível deve ser  gradual, à medida que os postos forem comprando o produto com o novo preço (reajustado). Aí sim podem repassar proporcionalmente para o consumidor nas bombas. 

 Ao se sentir lesado, o consumidor deverá exigir a nota  fiscal do produto adquirido e procura o Procon em Palmas/Taquaralto e nas cidades onde o Procon tem núcleo (Araguatins, Tocantinópolis, Araguaína, Colinas do Tocantins, Guaraí, Porto Nacional, Gurupi e Dianópolis).

 A denúncia pode ser feita também pelo fone 151, mas é importante sempre pedir a nota fiscal que servirá como prova. É importante denunciar, se possível informar os dados do posto (endereço, município, quilometro de rodovia), o consumidor é maior fiscal que o Procon possui.

 Dicas

Com a finalidade de orientar os consumidores na hora de abastecer o veículo, o órgão dá as seguintes dicas:

 #Abastecer preferencialmente no mesmo posto que seja de confiança ou escolher um que apresente a bandeira da distribuidora.

#Sempre fazer menção expressa do tipo de combustível desejado, para não ser colocado outro que não tenha sido requisitado. Mas se for abastecido com combustível de maior preço, sem a prévia informação do frentista, é direito do consumidor pagar o menor preço, como por exemplo, da gasolina comum.

#Observar se os preços informados na entrada do posto são os mesmos contidos na bomba e no cupom fiscal.

#Em caso de anúncio de um determinado combustível na entrada do posto a um preço e, ao solicitar este, o mesmo estiver em falta, o consumidor pode denunciar no Procon, por meio do Disk Denúncia 151, pois trata-se de violação às normas do consumidor.

#Se o consumidor suspeitar da qualidade do combustível ou da quantidade adquirida, pode ser solicitado ao frentista que faça o teste da proveta ou da litragem e o posto jamais pode se negar a realizar o teste. Caso o consumidor tenha dificuldade para entender e suspeitar da qualidade ou de fraude na litragem, pode denunciar ao Procon, a fim de que seja feita a constatação pelos fiscais do órgão.

#Todos os postos devem conter um informativo alertando o consumidor de qual combustível é mais vantajoso, se é abastecer com etanol ou gasolina, lembrando que caso o etanol esteja em até 70% do preço da gasolina, este é preço o mais vantajoso ao consumido recebido.