Economia

Foto: Miller Freitas

A Superintendência Estadual de Proteção dos Direitos do Consumidor (Procon Tocantins) está divulgando a Pesquisa de Preço dos Produtos de Primeira Necessidade. O levantamento foi realizado no dia 15 de outubro em seis supermercados de Palmas. Foram pesquisados 31 itens, entre alimentícios, de limpeza e higiene pessoal. A soma de todos os produtos com menores preços pesquisados foi R$ 85,74. Já a soma de todos os maiores preços foi R$ 174,53, uma variação de 103,56%.

O produto que teve mais variação de preço de um supermercado para o outro foi o quilo do alho, que foi encontrado pelo menor preço a R$ 2,49 e ao maior preço por R$ 19,89, uma diferença de 698,8%. Em seguida a margarina (250 g), que pode ser encontrada a R$ 1,15 em um estabelecimento e até R$ 5,49 em outro, uma variação de 377,39%.

Nos produtos de higiene pessoal, o papel higiênico (fino branco quatro rolos) chega a variar até 186,67% entre os supermercados pesquisados (de R$ 2,25 a R$ 6,45). Entre os itens de limpeza doméstica, o litro da água sanitária varia de R$ 1,49 a R$ 3,98, um percentual de 167,11%.

Uma dica do Procon Tocantins, segundo o gerente de Fiscalização Magno Silva. Para o consumidor obter economia, ele deve escolher os dias de ofertas e promoções para fazer as compras. “Uma boa dica para ficar por dentro das ofertas e promoções é sempre ter em mãos os folhetos de preços dos supermercados e se houver divergência neles, o consumidor tem direito de pagar sempre o valor menor”, destaca.

Magno fala ainda que o consumir deve fazer listas de compras antes de ir ao supermercado e só levar o que está escrito. Outra dica é sempre colocar no carrinho os itens de primeira necessidade, e depois avaliar a real necessidade da compra de outros produtos.

A pesquisa do Procon Tocantins tem caráter educativo, possibilitando ao consumidor uma planilha de preços com alimentos e produtos mais baratos de cada estabelecimento, considerados de primeira necessidade para o consumo da família. Para ter acesso à pesquisa completa, clique aqui.

Por: Redação

Tags: Magno Silva, Procon