Polí­tica

Foto: Divulgação

Centenas de comerciantes marcaram presença na Assembleia Legislativa do Tocantins na tarde desta quarta-feira, 21, para reivindicar a revogação do pacote de medidas fiscais do Governo do Estado, aprovado pelos deputados do Tocantins. Enquanto acontecia a sessão na AL, comerciantes e representantes de entidades classistas manifestavam com faixa "Diga Não ao Aumento de Impostos". 

Na tribuna, o deputado estadual Eli Borges (Pros) manifestou apoio a classe. "Recebemos a visita de centenas de pessoas que tem o direito democrático de fazer a sua manifestação", afirmou. O deputado também apresentou dados de custos para se viver no Tocantins. "Estava observando que nos últimos quatro anos, enquanto nós tivemos um aumento da inflação em torno de 26, 27%, a água que todos nós consumimos subiu em torno de 67%", informou. Segundo o deputado, em quatro anos, o aumento da água no Estado foi superior a inflação. 

O deputado Eli ainda frisou que votou contra o aumento de impostos e respeitou a decisão dos deputados que votaram a favor. "Se há uma insatisfação generalizada no contexto social é porque a sociedade quer participar mais e ser mais enxergada em todos os procedimentos, em todas as ações, decisões da esfera do poder", afirmou. Eli pediu registro como visitas ilustres a todos os presentes na sessão. 

O deputado Wanderlei Barbosa (SD), disse "que precisamos ver o que está acontecendo nesse Estado, precisamos discutir com o setor empresarial e chamar atenção da sensibilidade do governo. É necessário que os empresários sejam ouvidos, é a reclamação do setor produtivo, quem gera emprego, quem já paga taxas altas", frisou. 

O presidente da Casa, Osires Damaso (DEM) disse que o movimento é legítimo mas salientou. "É um sentimento de uma parte da população, mas essas leis que foram votadas na Assembleia Legislativa são oriundas do Palácio Araguaia. O governo que mandou para a Assembleia apreciar, não foram os deputados que criaram nenhuma lei. E digo mais, no dia da votação estavam todos os representantes classistas e empresarial no gabinete do presidente discutindo as leis e acordando conosco os ganhos que obtivemos, que foram muitos", afirmou. 

Ainda de acordo com Damaso, manifestar na Assembleia Legislativa não é a solução. "E digo com tranquilidade, poderia pegar os líderes e os deputados que não votaram ou quem votou também e reclamar e buscar do governador uma solução. Não é na Assembleia! Nenhum deputado tem competência de mudar a lei que o governador mandou para esta casa", afirmou. Eli Borges criticou as afirmações de Damaso. "Se o governador tem início de uma matéria e vem para esse parlamento, o parlamento pode votar contra, pode mudar a Lei, pode refazer e deveria ter feito!, alfinetou. Eli e Damaso trocaram farpas. Eli Borges foi exaltado pelos manifestantes. 

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB), prestou apoiou os manifestantes. "Aquela matéria de fato é uma matéria que mais mexeu com a vida do tocantinense desde a sua criação. Nunca houve um aumento de carga tributária naquele nível. O resultado é esse! Acho até que demorou!", afirmou. 

Entre os líderes do movimento na AL estavam o presidente da Acipa, Fabiano do Vale, presidente do CDL Palmas, Davi Goveia, diretora executiva da Fecomércio, Alexandra Branatti, entre outros.