Estado

Foto: Lia Mara

O governador Marcelo Miranda e os outros três representantes dos estados que compõem a região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) reuniram-se com a presidente Dilma Rousseff, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, senadora Kátia Abreu e empresários do setor da agricultura, nesta sexta-feira, 23, para discussão sobre as políticas de investimento na região e apresentação do Plano de Desenvolvimento, Inovação e Tecnologia do Matopiba.

O Plano de Desenvolvimento, Inovação e Tecnologia da região do Matopiba estabelece políticas públicas destinadas ao desenvolvimento econômico sustentável da região, que é considerada a última fronteira agrícola em expansão do País sem desmatamento. O plano pretende garantir investimentos em infraestrutura, logística e fornecimento de energia para a área.

Para o governador Marcelo Miranda, as discussões em torno do fortalecimento das atividades da região do Matopiba são de fundamental importância. Na opinião dele, não se pode esquecer a população que vive na região e que necessita de políticas públicas que possam contribuir com o desenvolvimento social, de forma plural, e econômico de todos os estados envolvidos. 

Já está previsto que a ministra Kátia Abreu e a presidente Dilma Roussef, deverão apresentar no Japão, para investidores japoneses e dirigentes da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), as prioridades dos governadores do Tocantins, Bahia, Maranhão e Piauí quanto à implantação da região do Matopiba, criada pelo governo federal. Os governadores já levantaram e apresentaram suas necessidades mais imediatas para investimentos na região.

Resultados

Para o vice-governador da Bahia, João Felipe de Souza Leão, a união dos estados vai ser muito produtiva. “Para nós, é muito importante estreitarmos os laços entre os estados do Matopiba, os benefícios serão muito maiores. Juntos, conseguiremos industrializar a nossa região para gerar receita para os estados. Temos assim que criar um vetor de desenvolvimento que gerará receitas para serem aplicadas em saúde, educação e em tudo que o povo precisa”, apontou.