Estado

Foto: Manoel Lima Claudia Lelis anunciou que o Governo, juntamente com o poder judiciário, entidades civis e meios de comunicação irão iniciar uma campanha de conscientização para toda a sociedade Claudia Lelis anunciou que o Governo, juntamente com o poder judiciário, entidades civis e meios de comunicação irão iniciar uma campanha de conscientização para toda a sociedade

A vice-governadora Claudia Lelis, preocupada com os números da violência contra a mulher no Tocantins, esteve reunida nessa quinta-feira, 29, em seu gabinete, com o subsecretário de segurança pública, Abizair Paniago, com a secretária de proteção e defesa social, Gleidy Braga e representantes do Ministério Público do Estado, Defensoria Pública e delegadas da mulher que atuam na Capital.

"Não podemos permitir esse tipo de violência, temos que nos unir e coibir essas agressões, uma violência silenciosa e cruel, que afeta milhares de mulheres no Brasil e no Tocantins", destacou a vice-governadora, anunciando que o Governo do Estado juntamente com o poder judiciário, entidades civis e meios de comunicação irão iniciar uma campanha de conscientização para toda a sociedade.

“Essa reunião é o início de uma grande força tarefa para conscientizar a população sobre essa violência que atinge tantos lares, é o pontapé inicial para uma campanha que vai envolver a todos”, lembrou Claudia Lelis, destacando que a deputada federal, Dulce Miranda, grande defensora desta bandeira está também preocupada e já destinou, por meio de emenda parlamentar, recursos na ordem de R$ 1,2 milhão.

Nesta primeira etapa da campanha será realizado um diagnóstico sobre a violência contra a mulher no estado, com troca de dados e informações de todos os poderes envolvidos. A próxima reunião já está agendada para o dia 5 de novembro quando a equipe de trabalho apresentará números e propostas para a elaboração da campanha de conscientização.

Durante a reunião foram apresentados dados pelas delegadas relacionados ao índice de violência doméstica e as ações que estão sendo desenvolvidas pela secretaria de segurança pública na punição dos agressores. Segundo a delegada da mulher, Haydee Guimarães, "as medidas protetivas eficazes e a punição ao agressor, salva vidas, e esse é um trabalho que nunca parou e que vem sendo desenvolvendo incansavelmente nas delegacias de mulheres no Estado", destacou.