Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Federal Vicentinho Júnior (PSB-TO) realizou nesta terça-feira (10), audiência pública para discutir sobre as obras das Rodovias Federais Transversais BR-242 e BR-235, que liga Tocantins ao Mato Grosso e Tocantins ao Maranhão, respectivamente. 

Presidente da Subcomissão Especial destinada a acompanhar tais obras, o parlamentar reuniu membros do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e da Fundação Nacional do Índio (Funai), com o objetivo de construir estudos de viabilidade com embasamento dos órgãos responsáveis. “Estes estudos serão de suma importância para passar segurança ao Governo Federal e fazer com que a presidente Dilma assine o Decreto que autoriza as obras”, explicou. 

O superintendente do DNIT no estado de Tocantins, Eduardo Suassuna, agradeceu a criação da Subcomissão para discussão do tema e ressaltou o quanto considera importante a construção das rodovias. “Nossa missão é também levar conforto e segurança aos usuários do sistema de viação e por isso nos colocamos a disposição para tratar de temas tão relevantes como esse”. 

Do ponto de vista ambiental, o superintendente do Ibama em Tocantins, Flávio Luiz Silveira, explicou que essas obras estão paradas há anos e trás prejuízos ao meio ambiente, por causa do desmatamento e da movimentação da terra. “Por isso consideramos necessária à retomada dessas obras e é extremamente positivo discutir o problema antes de começar. Planejando bem, a obra saíra mais harmoniosa”, ressaltou. 

O socialista finalizou explicando que as duas obras, no passado, ficaram de fora do planejamento da infraestrutura viária e rodoviária em função de questões ambientais que hoje já foram pacificadas. “É fundamental que se respeite as questões ambientais, sociais e indígenas e leve em consideração o tráfego intenso pela região. Sabemos da importância de cada órgão na reconstrução dessas rodovias e o quanto todos almejam para que nossos estados se desenvolvam e o Brasil também”. Vicentinho lembrou ainda que Mato Grosso e Maranhão são regiões que tem como base na economia a produção de cereais e a agropecuária.