Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD), usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins na manhã desta quinta-feira 26, para repercutir uma decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins (TJ-TO), que obriga o município de Palmas a substituir a empresa de coleta de lixo, Valor Ambiental, pela empresa, Coleta Geral Concessões (CGC).

Wanderlei Barbosa disse que a forma de como foi realizado os procedimentos da licitação que escolheu a empresa vencedora para fazer a limpeza pública de Palmas feriu diretamente a Lei de Licitações, de acordo com o deputado a empresa CGC foi a ganhadora da licitação, porém, foi desclassificada por motivos injustificáveis. E quem está fazendo a limpeza pública da capital é a empresa  Valor Ambiental que apresentou o valor de quase R$ 1 milhão a mais por mês do que a vencedora, a CGC.

Uma economia que daria para fazer a pavimentação de três quadras importantes que o prefeito Amastha prometeu e não fez, citando Taquari, Irmã Dulce e Santo Amaro, este último tendo sido iniciado só agora. “Falta dinheiro porque sobra desvio de finalidade em licitações”, disse o parlamentar.

Segundo o deputado, a prefeitura deixa de economizar quase R$ 10 milhões ao ano mantendo a empresa Valor Ambiental nos serviços de limpeza pública de Palmas. “O dinheiro dos palmenses corre pelo ralo, falta dinheiro porque sobram desvios nas licitações, pra onde foi o dinheiro, um milhão de reais todo o mês?” perguntou.

Descaso com Estádio e Shopping da Cidadania

O parlamentar falou ainda do descaso com o Estádio Nilton Santos e o Shopping da Cidadania, em Taquaralto, que estão em um estado de completo abandono, segundo ele, que mostrou fotos que ele mesmo registrou, na terça-feira, 24.

Wanderlei mostrou a situação dos banheiros sujos, abandonados, o mato tomando o espaço da grama, lixos por todos os lados, ambiente quebrado, tanto no estádio quanto na arena, que segundo ele, foi o único legado que os jogos indígenas deixaram para Palmas. “A prefeitura não dá conta sequer de fazer a limpeza pública, o único legado que ficou é o lixo”, disse.

O deputado ainda falou que, tanto o Shopping da Cidadania quanto o Estádio Nilton Santos são lugares que oferecem serviços públicos para mais de 50% da população de Palmas, enquanto esses ambientes estão abandonados e largados pela prefeitura o executivo da capital mantem sua base com um grande tráfico de influências, a última foi o aluguel de um prédio de propriedade do pai de um vereador de Palmas.

Wanderlei disse esperar do MPE que fez a empresa CGC assumir os serviços de limpeza pública na capital, já no final do ano, determine também que a Prefeitura e a empresa Valor Ambiental devolvam os recursos que deveriam ter sidos economizados, ressarcir a população. “Nós não somos vereadores não, mas enquanto os vereadores não trabalham, alguém tem que fazer o dever de casa e fazer a fiscalização dessa cidade também”, finalizou.