Polí­cia

Foto: Divulgação

Policiais civis do Grupo Operacional Colinas do Tocantins (GOCTO) composto por policiais civis da 7ª Delegacia Regional, efetuaram a apreensão de 25 quilos de maconha no início da noite desta última sexta-feira, 27. A droga estava em poder de Vergílio G. da S., de 56 anos e Luiz F. A. de S., de 21 anos, que foram presos em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Conforme a delegada regional Olodes Maria Oliveira Freitas, responsável pelo caso, a ação que resultou na apreensão do entorpecente e na prisão dos dois suspeitos é resultado de um trabalho investigativo iniciado pelo GOCTO, no dia 23 de outubro de 2015, com a prisão de Tiago G. da S. e Antônio C. C., respectivamente, filho e cunhado de Vergílio.  Na naquela ocasião, os policiais civis apreenderam com os dois indivíduos cerca de onze quilos de maconha.

Ainda de acordo com a delegada, após a coleta de informações e levantamentos, os agentes conseguiram, em um primeiro momento, realizar a apreensão de três quilos de maconha, os quais estavam escondidos no interior da cabine de um caminhão gaiola, de propriedade de Vergílio, no exato momento em que este entregaria a droga a Luiz, ato ocorrido nas proximidades de uma churrascaria, localizada na saída da cidade.  

No momento da abordagem policial aos dois homens, a esposa de Vergílio, que também estava no local, concordou em dizer aos policiais onde estava escondido o restante da droga, uma vez que a equipe de investigadores da 7ª Regional já tinha conhecimento de que o esposo da mulher escondia aproximadamente 30 quilos de drogas, em sua fazenda situada próximo a cidade de Colinas.

De imediato os agentes deslocaram-se até à propriedade, juntamente com a mulher e, após algum tempo de buscas, encontraram a quantia aproximada de 22 kg de maconha, que estavam acondicionados dentro de um tambor de plástico, o qual estava enterrado há aproximadamente um quilômetro da sede da fazenda.

Diante disso, Virgílio e Luiz foram autuados em flagrante e, após as providências cabíveis, foram encaminhados à carceragem da Cadeia Pública de Colinas do Tocantins, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário.