Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Paulo Mourão (PT), líder do governo na Assembleia Legislativa do Tocantins, apresentou requerimento na Casa de Leis solicitando a celebração de convênio do governo do Estado com o município de Porto Nacional para a construção de um Hospital Universitário com 300 leitos. O parlamentar voltou a demonstrar sua preocupação com a saúde pública do Tocantins. “É lamentável a situação da saúde pública, embora o governo faça investimentos além do que é determinado pela lei, a população ainda não tem o atendimento que deseja e merece”, pontuou.

Conforme levantamento feito por Mourão, o Hospital Geral de Palmas (HGP), que é considerado uma unidade de Porte III, conta com 399 leitos de internação, sendo referência para atendimentos de urgência e emergência não só para Palmas, como todo o Tocantins e estados vizinhos, com uma média de 3.500 atendimentos por mês.

Já o Hospital Regional Porto Nacional conta 74 leitos para atender 11 municípios da Região de Saúde Amor Perfeito, sendo incapaz de suprir toda a demanda dessa região. “O que se verifica é o direcionamento desses pacientes ao HGP que se encontra sobrecarregado”, avalia.

Paulo Mourão defende a descentralização do sistema de saúde do Tocantins com a construção de hospitais de referência em regiões estratégicas do estado, para dar solução ao gargalo do HGP, o que vai agilizar e dar qualidade ao atendimento prestado à população.” A prestação do serviço público de saúde é um direito constitucional do cidadão que não pode ser prejudicado pela ineficiência ou inoperância do sistema de saúde pública”, considerou.

O parlamentar avalia que a saúde do Tocantins vive uma situação de paradoxo, uma vez que os hospitais estão desaparelhados, mas por outro lado os investimentos no setor superam a margem que determina a lei. “O estado do Tocantins constitucionalmente tem a obrigação de investir 15% de seu orçamento na saúde, gasta 22,8% na saúde e temos a saúde tão precária que temos o que nos faz entender que o problema do Tocantins não são recursos financeiros, o problema do Tocantins é gestão da saúde, aplicação de recursos de forma competente e otimizada”, desfechou.

Paulo Mourão acredita que o Tocantins precisa tomar como exemplo estados que estão mudando a cara da saúde pública com a melhoria da gestão.  “É isso que os estados estão fazendo, o governador Marconi Perillo está dando um show de gestão da saúde, o estado do Rio de Janeiro está dando uma resposta extremamente reconhecida por toda a classe da saúde da sociedade e o Tocantins vai ter que passar por essa discussão de rever a sua gestão”, finalizou.