Polí­tica

Foto: Divulgação

Atendendo a uma solicitação do deputado estadual Elenil da Penha (PMDB), o secretário de Segurança Pública do Tocantins, Cesar Simoni, garantiu que irá manter uma equipe do Grupo de Operações Táticas da Polícia Civil, em Araguaína, durante todo o mês de dezembro. “A cidade costuma receber, no período de férias e festas de fim de ano, mais de um milhão de pessoas, muitas delas vindas de outros estados como Pará e Maranhão. Como consequência, temos o aumento do número de crimes, principalmente de assaltos. A presença da tropa de elite da Polícia Civil inibe a ação de bandidos, trazendo mais segurança para a população”, explicou o parlamentar.

O combate à criminalidade foi discutido, recentemente, em uma reunião promovida por Elenil com a cúpula da Segurança Pública no estado. Na ocasião, o deputado cobrou da SSP, a reforma das delegacias de Polícia Civil do Tocantins. “A Polícia Civil tocantinense ainda não conta com uma estrutura apropriada para o exercício de suas atividades. Por causa disso, muitas investigações não chegam aos culpados, o que reforça a sensação de impunidade. Ao cidadão de bem, interessa ver o delinquente punido e não há como fazer Justiça sem que as nossas instituições tenham condições para funcionar adequadamente”, argumentou o parlamentar.

Simoni explicou a Elenil que, por falta de previsão orçamentária, não foi possível promover melhorias significativas em nenhuma delegacia do estado em 2015. O secretário, porém, assegurou que, graças a uma convênio com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, até o fim de janeiro de 2016, a SSP deve começar a equipar os prédios. “A situação financeira do Tocantins é frágil e é compreensível que o poder público encontre dificuldades para realizar as melhorias necessárias. A nossa expectativa é que, em 2016, as contas públicas sejam equilibradas e, com isso, possamos recuperar a capacidade de investimento do estado, beneficiando, assim, não só a Segurança Pública, mas também outros setores prioritários como a Saúde e a Educação”, concluiu o deputado.