Polí­tica

Foto: Wilson Dias

Com 39 integrantes, a chapa 2 - Unindo o Brasil, formada em sua maioria por deputados da oposição e dissidentes da base aliada, venceu nesta terça-feira, 8, a votação para compor a comissão especial que vai analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).  A chapa recebeu 272 votos, enquanto a chapa 1, formada por deputados indicados pelos líderes da base governista, obteve 199 votos. A votação foi secreta.

A comissão deverá ter 65 membros titulares e 65 suplentes. As vagas remanescentes, que não foram ocupadas pela chapa vencedora, serão preenchidas em nova votação, que deverá ocorrer amanhã (9). Faltam escolher 26 deputados titulares e 42 suplentes.

O bloco encabeçado pelo PMDB tem ainda quatro vagas de titulares e 14 de suplentes para serem ocupadas. O bloco liderado pelo PT terá que preencher ainda 15 vagas de titulares e 17 de suplentes. O bloco da oposição, liderado pelo PSDB, que organizou a chapa vencedora junto com outros partidos da oposição e insatisfeitos com a composição da chapa 1, terá de preencher uma vaga de titular e cinco de suplentes. (Agência Brasil)

Veja os nomes da chapa 2:

PSDB

Carlos Sampaio (SP)

Valdir Rossoni (PR)

Bruno Covas (SP)

Nilson Leitão (MT)

Paulo Abi-Ackel (MG)

DEM

Mendonça Filho (PE)

Rodrigo Maia (RJ)

PMDB

Osmar Terra (RS)

Lúcio Vieira Lima (BA)

Lelo Coimbra (ES)

Mauro Mariani (SC)

Flaviano Melo (AC)

Carlos Marun (MS)

Manoel Jr (PB)

Osmar Serraglio (PR)

PSD

Sóstenes Cavalcante (RJ)

Evandro Roman (PR)

João Rodrigues (SC)

Delegado Éder Mauro (PA)

PP

Odelmo Leão (MG)

Jair Bolsonaro (RJ)

Luiz Carlos Heinze (RS)

Jerônimo Goergen (RS)

PSC

Eduardo Bolsonaro (SP)

Marco Feliciano (SP)

PSB

Fernando Coelho Filho (PE)

Bebeto (BA)

Danilo Forte (CE)

Tadeu Alencar (PE)

SD

Fernando Francischini (PR)

Paulinho da Força (SP)

PMB

Major Olímpio (SP)

PPS

Alex Manente (SP)

PTB

Sério Moraes (RS)

Benito Gama (BA)

Ronaldo Nogueira (RS)

PHS

Kaio Maniçoba (PE)

PEN

André Fufuca (MA) 

Por: Redação

Tags: Dilma Rousseff, Impeachment