Estado

Foto: Divulgação

Na tarde desta segunda-feira, 7, em Palmas, Sabrina Fittipaldi, tomou posse na função de subsecretária de Estado da Cultura. Atualmente a gestora estadual exercia o cargo de superintendente de Desenvolvimento da Cultura.

Militante cultural há mais de 13 anos, Sabrina Fittipaldi é atriz, musicista e tecnóloga em fotografia graduada pelo Ceulp/Ulbra. Sua história se confunde com a trajetória artística do próprio Tocantins, uma vez que foi fundadora do Primeiro Grupo de Teatro de Rua do Tocantins o Grupo Teatro Livre de Palmas.

De acordo com o secretário de Estado da Cultura, Melck Aquino, “Sabrina Fittipaldi já provou o seu grande talento como atriz, cantora, compositora e agitadora cultural sintonizada com à realidade tocantinense sem, contudo, perder a dimensão da cultura e suas linguagens artísticas com sua essência desprovida de fronteiras. E foi essa experiência, aliada à uma inteligência acima da média e grande capacidade de articulação que a credenciou para ser à subsecretária da Cultura e conosco somar esforços para os grandes desafios que já se apresentaram e que ainda estão por emergir nos próximos três anos da administração Marcelo Miranda" disse.

Para Sabrina Fittipaldi ocupar a subsecretária ao lado do secretário de Estado da Cultura, Melck Aquino, é uma honra. “Depois de 13 anos de militância cultural e atuando como artista profissionalmente, conhecendo todas as dificuldades, em se viver do trabalho artístico no Tocantins me sinto honrada de ter recebido do governador Marcelo Miranda essa missão, de ao lado do Melck conduzir essa pasta”, afirmou.

A nova subsecretária ressaltou ainda qual é o foco da pasta neste momento. “Todos os nossos esforços estão voltados para a quitação das dívidas herdadas pela secretaria, paralelo a isso planejamos um ano de 2016 rico culturalmente para a sociedade. Vamos implantar uma política de Estado consistente, onde os tocantinenses terão opção de lazer cultural”, concluiu.

 Perfil de SabrinaEm cena estrelou: Bodas de Sangue  de Frederico Garcia Lorca, Com a Cia Chama Viva de teatro do TO ao lado da atriz Susana Pires; A Vida como ela é no cordel, que premiado no edital Caravana Funarte ,espetáculo selecionado para o Festival de Inverno de Bonito- MS; O auto da Vida  ( teatro de rua), espetáculo com mais de 150 sessões; O  Anel de Magalão e Sacra folia, textos de Luís Alberto de Abreu, Dirigiu a Peça Soul-4  de Manuela Dias, e o Infantil Meu Cerrado Cerradinho de Manuela Castelo Branco. Em 2004 criou a Trupe Atrupelo, grupo de Teatro e Música, onde aprofundou-se na pesquisa da construção de narrativas cênicas baseadas na literatura de cordel e da interferência Musical na ação do ator performer nos espetáculos. O sertão cá pra nós, uma comédia popular  nordeste-brasileira, Trupe Atrupelo Atrupelando os Brasis. Convidada especialmente, pela produção da Cia Fazarte de Teatro do Rio de Janeiro, integrou o elenco da Comédia “Ox exculaxados” sob a direção do maior humorista do Brasil Chico Anysio. Em junho de 2011 estreou “Seu Quirino e as cartas para Tereza” onde assina o texto e a concepção da obra em parceria com Gil Doliath.

É atriz Fundadora do Primeiro Grupo de Teatro de Rua do Tocantins o Grupo Teatro Livre de Palmas e por 8 (oito) anos integrou o elenco da Barraca Cia Experimental de Artes onde desenvolveu inúmeros projetos de Fomento a Arte e a Cultura, bem como projetos arte educativos.

Como produtora cultural, desenvolveu ao lado de seu parceiro Marcelo Souza, através da Usina de invenções culturais, macroprojetos como: O Festival de Inverno de Taquaruçú, o Festival Internacional de Teatro de Bonecos do Tocantins, que incluíram o Tocantins na rota dos grandes espetáculos mundiais, e principalmente ampliaram o mercado de trabalho dos fazedores da cultura Tocantinense.

Além disso, Sabrina foi apresentadora do Programa: “Essa é pra Tocar no Rádio” que discutia a política cultural brasileira pelo panorama do Tocantins, transmitido através da Redesat Tocantins para 40 cidades.

Por: Redação

Tags: Melck Aquino, Sabrina Fittipaldi, cultura