Turismo & Lazer

Foto: Valério Zelaya

O Programa de Balneabilidade, que avalia a qualidade bacteriológica das Praias de Palmas, atestou que todas estão adequadas para o contato primário, sem oferecer riscos à saúde. A análise foi realizada no período de 12 de novembro a 3 de dezembro, pela Fundação Municipal de Meio Ambiente de Palmas (FMA), atendendo especificações da Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) nº 274/2000.

Segundo a Resolução, os critérios que definem as águas próprias para recreação de contato primário, ou seja, o contato direto e prolongado com a água (banho, recreação, mergulho, esqui-aquático, entre outros, prevê o número mais provável (NMP) de Escherichia coli por 100 ml.

A condição de balneabilidade será definida como própria quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, colhidas no mesmo local, se houver no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros e, imprópria quando não atendidos os critérios estabelecidos para águas próprias, quando o valor obtido na última amostragem for superior a 2000 Escherichia coli ou quando existirem ocorrências que possam ocasionar risco à saúde dos banhistas.

As amostras são coletadas pelos técnicos da Fundação Municipal de Meio Ambiente e enviadas para o Laboratório de Microbiologia Ambiental da Universidade Federal do Tocantins (Lambio), onde as análises são realizadas.