Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador Lúcio Campelo (PR) em seu discurso na última sessão do ano legislativo da Câmara Municipal de Palmas, agradeceu aos vereadores, pelos debates de ideias, deixou uma mensagem de natal, e apresentou mais uma denúncia contra o empresário Carlos Amastha, prefeito de Palmas: "Ele cobra do contribuinte mas não cumpre a função dele, nem das empresas em que ele é sócio", disparou o vereador.

A denúncia do parlamentar se refere a uma certidão dizendo que o contribuinte Carlos Enrique Franco Amastha, que é sócio de uma empresa, possui débitos tributários com o município de Palmas. 

A denúncia é feita em um momento que o secretário Municipal de Planejamento, Gestão e Desenvolvimento Humano, Alan Barbiero, soltou uma circular dizendo que o funcionário que não estiver quites com a receita do município, e que não apresentar uma quitação eleitoral, não terá seu contrato de serviço com a Prefeitura de Palmas renovado.

"Vejo propaganda da Prefeitura pedindo que as pessoas que tem débitos com a Prefeitura que procurem o Parque do Povo, para negociar um parcelamento ou a quitação total com desconto. Será que o prefeito vai pra fila para quitar seus débitos com o município?", questionou Campelo.

O vereador também questionou o secretário Alan Barbiero: "Ele vai exonerar o prefeito?", alfinetou.

Lúcio também questionou sociedade palmense: "O que vocês como cidadãos querem para essa cidade? O que está acontecendo com a sociedade palmense?", indagou o parlamentar sobre a passividade da população perante graves denúncias de desvios de dinheiro público na Prefeitura de Palmas. 

Limpeza urbana

O vereador ressaltou o valor que a Prefeitura de Palmas irá gastar com limpeza pública no ano de 2016, serão R$ 48 milhões e 500mil. E fez um comparativo com a gestão anterior do então prefeito Raul Filho (PR), quando eram gastos por ano R$ 13 milhões e 500 mil. "Quem está pagando os impostos que geram renda para que o prefeito possa gastar são vocês, a população. O mais triste é saber que ainda existe nesta cidade cidadãos que batem palmas para pinturas de meios-fios", falou Campelo.

Segundo o vereador, enquanto isso “o povo está passando necessidade, está com a barriga vazia, porque Palmas cada dia que passa está mais pobre. A juventude sem perspectiva de qualificação profissional, e as nossas crianças faltando alimentação nas escolas.", alertou.

Para Lúcio é preciso uma transformação da sociedade, para mudar os rumos do País, do Estado e do município. "A sociedade tem que aprender a viver e a defender o interesse coletivo, ou a tendência é afundar, e a responsabilidade é da sociedade. Quem muda os rumos de seu País, é o seu povo. Governante não é patrão, é empregado, e nós como cidadão precisamos aprender a fazer essa cobrança".

Grande festa natalina

Para encerrar seu pronunciamento Lúcio Campelo ironizou a "grande festa" natalina que o prefeito Carlos Amastha está fazendo. "A cidade está bonita, mas o Papai Noel do prefeito está de férias, de bermuda, prancha de surf. A mamãe noel de mini saia...Parabéns prefeito, mas o povo vai receber o que de presente?", indagou. 

Lúcio Campelo também parabenizou os vereadores no encerramento do ano legislativo: "Tenho nada pessoal contra o senhor prefeito, nada pessoal contra os nobres pares, mas divergências de ideias, e o lugar delas é aqui. E é aqui que eu defendo os interesses da minha cidade, do meu povo, Espero no próximo ano dar continuidade neste trabalho, e que todos nós possamos estar aqui, juntos, unidos, trabalhando em prol de nossa Capital, do nosso povo", concluiu.