Campo

Foto: Lino Vargas

A Prefeitura de Gurupi por meio da Secretaria da Produção, Cooperativismo e Meio Ambiente em parceria com a Embrapa, Ruraltins e Universidade Federal do Tocantins (UFT) desenvolvem em Gurupi um projeto para melhorar a produtividade da mandioca.

Segundo o secretário da produção, Cooperativismo e Meio Ambiente, Raimundo Wagner, a mandioca produzida pelo projeto tem um potencial maior que a comum. Ela pode chegar a 30 toneladas por hectare, sendo que o normal é de 5 a 8 toneladas.

“O custo que o produtor vai ter com uma variedade que produz oito toneladas por hectare é o mesmo com que produz trinta toneladas. Com isso ela vai ter o dobro da produção com o mesmo custo”, argumentou.

A fase experimental do projeto de introdução de novos cultivares de mandioca acontece no Campus da UFT em Gurupi e na Associação de Assentados Micro Jandira. As melhores mudas doadas pela Embrapa serão distribuídas gratuitamente para a Associação, que já produz e comercializa farinha de mandioca.

O projeto faz parte do Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária) da Embrapa.

Ganhos para o pequeno produtor

O professor de agronomia da UFT, Manoel Mota ressaltou a importância de aumentar a produtividade do pequeno produtor rural. “Vamos testar para ver a que tem melhor teor de amido e melhor produtividade”, afirmou.

“Tem um projeto do governo federal em que o produtor pode vender a mandioca para o governo federal e tentar capitalizar a associação via Conab”, ressaltou o secretário destacando  as possibilidades de emprego e renda.

A acadêmica de agronomia, Tania Sakay, explicou que o experimento está no início, mas a expectativa é que traga muitos benefícios. “Este projeto também vai melhorar a produção de alimentação animal”, afirmou. “Fazer parte deste experimento nos acrescenta muito em prática”, acrescentou Tania sobre os benefícios para a sua formação.