Estado

O Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev) fez um mutirão para atendimentos no último dia de 2015, apesar da data ter sido ponto facultativo no governo do Estado. Mesmo assim, 1.449 aposentados e pensionistas perderam o prazo, (31 de dezembro) para atualização de suas informações no órgão e, agora, estão sob o risco de terem os seus pagamentos suspensos.

Quem não se recadastrou dentro do prazo pode ficar sem o benefício já a partir deste mês, cujo pagamento é realizado em fevereiro. Este é o planejamento inicial do Igeprev, porém, o início da suspensão ainda não está totalmente definido porque o órgão optou em aguardar algumas semanas para, então, publicar a lista oficial com os nomes dos atingidos pela medida.

Esse prazo de carência ocorre porque a gestão à frente do instituto acredita que ainda possa chegar, pelos Correios, documentação de quem, por ventura, não resida mais no Estado. Para atender a todos os beneficiados, o Igeprev disponibilizou o recadastramento também pelo serviço de correspondência. “A lista deverá ser publicada após verificação que já está sendo feita nos dados dos recadastrados, aguardando também a chegada de formulários enviados pelos segurados via Correios. Isso deve acontecer por volta do dia 20/01 próximo”, diz trecho da nota enviada pelo órgão.

As 1.449 pessoas que não se recadastraram correspondem a 15,58% dos beneficiados do Igeprev. Entre os que estão com pendências no órgão por não terem feito a prova de vida, 805 são aposentados e 644, pensionistas.

Entre os mais de 7 mil que fizeram o recadastramento dentro do prazo, o Igeprev já identificou situações em que os benefícios serão cancelados porque estão indevidos. Contudo, a divulgação oficial dessas informações será feita possivelmente no próximo mês.

Por: Redação

Tags: Igeprev, Jacques Silva