Saúde

Foto: Divulgação

Novas especialidades de residência médica serão oferecidas neste ano no Hospital Geral de Palmas (HGP). Atualmente a unidade oferta nove especialidades médicas e os futuros profissionais terão mais três novas opções: Dermatologia, Cirurgia do Aparelho Digestivo e Ortopedia/Traumatologia.

O Programa de Residência Médica desenvolvido no HGP, através de parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e Universidade Federal do Tocantins (UFT), conta com a participação de 40 profissionais médicos que recebem capacitação para se especializarem nas áreas de Anestesiologia, Angiorradiologia, Cirurgia Geral, Cirurgia Vascular, Cirurgia Videolaparoscópica, Clínica Médica, Medicina Intensiva Pediátrica, Psiquiatria e Reumatologia.

A diretora geral do HGP, Renata Duran, destaca que o profissional residente acrescenta e qualifica ainda mais a assistência em saúde no hospital, já que também fica próximo ao paciente. “Este profissional poderá retornar para o seu local de origem ou mesmo permanecer na nossa unidade, melhor capacitado e especializado. Com isto, a assistência ganha e o usuário também”, disse.

O médico do HGP, Itágores Hoffman I, que é coordenador da Comissão de Residência Médica da UFT, explica que o serviço está com novos projetos e que são muito importantes porque se abre um novo leque de formação de especialistas que vão atuar não somente no Hospital Geral, mas em todo o Estado. Ainda segundo o médico, a primeira etapa do processo de seleção acontece no final deste mês de janeiro e a segunda fase no início de fevereiro. 

“Dentro do serviço de saúde o residente traz uma dinâmica para o trabalho, porque ele está em um modelo de programa de especialização, onde atua junto com o médico preceptor no tratamento do paciente, em um processo de aprendizado”, afirma.

De acordo com a Comissão de Residência Médica da UFT, a seleção para as especialidades ocorrerá através de prova prática classificatória. Sendo que as provas teóricas serão aplicadas no próximo dia 25 e as práticas no dia 07 de fevereiro. O resultado preliminar do processo seletivo deve ser divulgado no dia 13 de fevereiro por meio da UFT.

Programa de formação

A residente Jaqueline Jerônimo Milhomem reforça que o programa de residência serve para orientar o médico no que ele vai fazer depois que se formar. Jaqueline afirma que no caso dela optou pela especialização em cirurgia geral, mas também pretende se especializar em cirurgia do aparelho digestivo. “A residência da UFT tem um diferencial, se comparada a outras residências das quais já ouvi falar e me candidatei também. Optei por esta por causa da parte prática ofertada no HGP tendo em vista que no caso da especialização em cirurgia geral, a técnica é tudo”, acrescenta.  

A paciente Leidiane Aguiar, que reside em Gurupi e faz tratamento no Centro de Infusão Reumatológico do HGP, conta que os serviços prestados pelos residentes ajudam bastante. “Eles me tratam bem e são bastante compreensivos, principalmente porque tem dias que, mesmo eu não estando muito bem e feliz, eles conversam comigo, explicam, brincam e tem muita paciência. Os residentes fazem um trabalho bom aqui no hospital”, disse.

HGP é referência

Atualmente o HGP está em fase de credenciamento junto ao Ministério da Saúde (MS) e Ministério da Educação e Cultura (MEC) para ser efetivado como Hospital de Ensino, pois já é um espaço de referência na atenção a saúde para alta complexidade. A unidade vem contribuindo para a formação de profissionais de saúde e para o desenvolvimento tecnológico através do pesquisa, geração e difusão de conhecimentos.

O Núcleo de Educação Permanente (NEP) do HGP trabalha seguindo quatro pilares: ensino, pesquisa, serviço e geração de conhecimento, e em 2015 o hospital recebeu 1.908 profissionais distribuídos da seguinte forma: 456 na enfermagem, 28 na nutrição, 18 na farmácia, 91 na fisioterapia, 567 na medicina/estágio, 185 na medicina/internato, 84 na odontologia, 40 em residência médica, 9 no serviço social, 247 em técnico/radiologia, 65 em técnico/instrumentação cirúrgica, 102 em técnico/enfermagem, 8 em  técnico/análises clínicas, 4 em residência/saúde mental (multiprofissional) e dois na psicologia.