Saúde

Foto: Heitor Iglesias

A Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás) realizou auditoria de requalificação do Hemocentro Coordenador de Palmas, que é o fornecedor de plasma (componente líquido do sangue, no qual as células sanguíneas estão suspensas) para o fracionamento industrial no Estado, e concluiu que o hemocentro está aprovado para continuar o fornecimento de plasma excedente para fabricação de medicamentos pelo período de doze meses. 

Este é um procedimento previsto para todos os hemocentros fornecedores de plasma e o objetivo é verificar os processos que impactam na qualidade do plasma e atestar o serviço como fornecedor, garantindo uma matéria-prima de qualidade para produção de medicamentos hemoderivados, que serão utilizados por pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

A auditoria é feita sobre a cadeia produtiva do plasma mostrando o resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo hemocentro e apontando aspectos que ainda podem ser melhorados.

A diretora da Hemorrede do Tocantins, Poliana Gomes, disse que a notícia foi recebida com satisfação por toda equipe e que o reconhecimento mostra o empenho da Hemorrede na busca da qualidade do serviço. “Essa qualificação é resultado de muito esforço e dedicação de toda equipe. Representa o amadurecimento de cada servidor e externa a qualidade dos processos de trabalho. Ainda temos muito a conquistar, mas nos sentimos mais estimulados a trabalhar em prol do cidadão e em busca da qualidade no serviço prestado” disse.

Plasma

O sangue doado nos hemocentros beneficia milhões de pessoas todos os anos por meio da transfusão, mas o plasma sanguíneo pode salvar ainda mais vidas, já que pode ser utilizado na produção de hemoderivados, que são medicamentos feitos a partir do sangue humano.

Uma bolsa de sangue beneficia até quatro pessoas com a prática transfusional. Já o plasma transformado em medicamentos, pode ser utilizado por até 60 mil pessoas, não só melhorando a qualidade de vida, mas salvando vidas.

Hemobrás

A Hemobrás trabalha para reduzir a dependência externa do Brasil no setor de derivados do sangue e biofármacos, ampliando o acesso da população a medicamentos essenciais à vida de milhares de pessoas com hemofilia, além de pacientes de imunodeficiências genéticas, cirrose, câncer, Aids, queimaduras, entre outras doenças.

A empresa realiza auditorias técnicas permanentes e periódicas em hemocentros que são os fornecedores do plasma brasileiro. A empresa trabalha, ainda, para produzir, desenvolver e pesquisar medicamentos hemoderivados e biotecnológicos com excelência na qualidade, sustentabilidade e satisfação do corpo funcional e de clientes para atender prioritariamente ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Por: Redação

Tags: Hemobrás, Hemorrede, Poliana Gomes, SUS