Estado

Foto: Divulgação

Após mais de quatro meses em greve, os médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) voltaram ao trabalho nessa segunda-feira, 25. De acordo com a chefe da Seção de Atendimento da Gerência Executiva do INSS em Palmas, Kelly Leal, entre 18 médicos do Tocantins, seis estavam em greve desde o dia 4 de setembro do ano passado e voltaram ao trabalho ontem.

Dos médicos que aderiram à greve no Tocantins, dois atuam nas agências de Dianópolis e Araguatins, sendo que um deles também presta serviços na Capital. Segundo Kelly, os outros profissionais dão suporte nas agências de Miracema, Paraíso e Porto Nacional e também são responsáveis por executar supervisão médica em todo o Estado.

Ainda de acordo com a chefe de seção do INSS, não há como calcular, em números, quantos foram impactados pelo movimento grevista no Tocantins, mas é possível afirmar que muitos foram prejudicados. O instituto também tem médicos peritos nos municípios de Arraias, Tocantinópolis, Gurupi e Colinas do Tocantins.

Os maiores prejudicados são os moradores de Araguatins e Dianópolis, já que os únicos médicos que atendiam nos municípios aderiram ao movimento. Quem já havia marcado as perícias terá que entrar em contato com o órgão para regularizar a situação. “Os que procuraram o órgão durante a greve, conseguiram remarcar as perícias. Quem não teve interesse, tem que tentar reagendar agora”, explica Kelly.

Os interessados devem entrar em contato com órgão por meio da central de atendimento no número 135. Neste contato também é possível obter todos os esclarecimentos sobre a disponibilidade da agenda do INSS.

Palmas

Embora tenha sido menos prejudicada, a Capital também sofreu com a greve. Como atende, em média, mil perícias por mês, a agência palmense conta com apoio de peritos de outros locais.

Por: Redação

Tags: INSS, Kelly Leal