Polí­tica

Foto: Divulgação

O senador Ataídes Oliveira (PSDB) criticou na manhã desta quarta-feira, 27, o fato de o Governo do Estado ter autorizado o aumento nas contas de água para o consumidor tocantinense. "Em meio a uma crise que o País atravessa e pouco depois da vigência do pacotão de aumento de impostos do próprio Estado que encareceu as taxas do IPVA e combustível, por exemplo, autorizar uma medida dessas neste momento é algo desumano e nada democrático", disse. Segundo o senador o governo coloca o povo, de fato, "mais perto da crise, do arrocho e das dívidas", disse.

O reajuste nas contas de água dos 47 municípios atendidos pela Odebrecht Saneatins vale a partir de fevereiro e vai atingir aproximadamente 1 milhão de consumidores tocantinenses. São, na prática, dois aumentos: 10,67% de reposição da inflação (conforme o IPCA, que é o Índice de Preço ao Consumidor Amplo), e mais 19,46% (parcelados em três vezes de 6,48%) referentes a recuperação de investimentos feitos pela empresa no Estado.

Para o senador, o governador Marcelo Miranda, na atual conjuntura, "não deveria ter proporcionado mais esse desgosto e sacrifício ao tocantinense". "A população tem que saber que o aumento só é dado se o governo do Estado autorizar, por meio da Agência Tocantinense de Regulação (ATR). A empresa pede, mas cabe à ATR, subordinada ao governador, dizer sim ou não. Faltou sensibilidade", lamentou.

Ponderado, o senador admitiu até que, apesar das crise, o governo e empresa poderiam discutir reposição dos índices de inflação, mas criticou o fato de neste reajuste ter sido incluído o percentual de 19,46% a título de recuperação de investimentos. "Pelo amor de Deus, não é momento para isso. O povo vai pagar junto com a tarifa uma conta que não é sua. São quase 20% a mais por investimentos que a empresa deve mesmo fazer para melhorar o serviço que o povo já paga e se atrasar tem o fornecimento de água cortado. É difícil fazer a população consumidora compreender isso", disse.

Ataídes Oliveira cobrou ainda que o governo do Estado e empresa expliquem quais foram os investimentos feitos que serão ressarcidos neste aumento. "Quais são esses investimentos? Onde foram feitos? É a melhor hora mesmo de passar essa fatura para a população pagar? O governador deve ter a responsabilidade e transparência de vir a público e explicar isso, discutir com a sociedade e deixar claro o motivo de, neste momento de crise, colocar mais essa conta para o bolso dos tocantinense", finalizou.