Campo

Foto: Divulgação

O Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev) divulgou nesta quinta-feira, 28, os dados que medem a evolução da destinação correta de embalagens vazias de agrotóxicos no Tocantins, em 2015. Os números apontam uma evolução de 24,3% nas devoluções em comparação com 2014, sendo que foram devolvidos 497.850 quilos de embalagens. Com isso, o Tocantins fechou o ano ocupando uma posição a mais no ranking nacional, passando de 5º para 4º colocado entre todos os estados.

Do total devolvido, 445.910 quilos estavam dentro dos parâmetros corretos da tríplice lavagem das embalagens, que foram encaminhadas para a reciclagem. Já os 51.940 quilos restantes não laváveis foram incinerados pelos fabricantes. Quanto ao volume devolvido o Tocantins ficou em 12º lugar.

Para o presidente da Adapec, Humberto Camelo, os números positivos representam o esforço de todos os parceiros envolvidos no processo de retirada deste passivo do campo. “O governo do estado, por meio da Adapec, mantém junto aos produtores rurais uma política de educação sanitária e de conscientização sobre a importância da devolução destas embalagens para a preservação do meio ambiente e da saúde humana”, disse Humberto, acrescentando que os produtores tocantinenses estão cada vez mais conscientes do seu papel em defesa de uma agricultura forte e sustentável.

O responsável técnico pela ação de agrotóxicos da Adapec, Lenyhawre de Almeida Lima explicou que entre as responsabilidades da Agência sobre a devolução das embalagens vazias de agrotóxicos estão: fiscalizar o funcionamento do sistema de devolução e destinação final; fiscalizar o armazenamento dos produtos em lojas especializadas, bem como a emissão de receita; verificar se a nota fiscal do produto emitida pelo comerciante contém informações sobre o local de devolução da embalagem. “O mais importante é a conscientização e orientação aos produtores rurais sobre a maneira correta de adquirir, aplicar o produto e devolver a embalagem no local adequado,” destacou Lima.

De acordo com a legislação, os agricultores têm o prazo de um ano após a compra do agrotóxico para devolver as embalagens vazias. Caso tenha sobra de produto o prazo é estendido por mais seis meses. A Adapec orienta o agricultor para que guarde o comprovante de devolução por um ano, pois caso haja fiscalização na propriedade e as embalagens não tenham sido devolvidas, ele pode ser autuado.

Dados

Em todo o Brasil foram devolvidas, em 2015, mais de 45 mil toneladas de embalagens. Um crescimento de 6,8% em relação a 2014.

O Tocantins conta com duas centrais de recebimento de embalagens vazias de agrotóxicos, que estão localizadas nos municípios de Pedro Afonso e Silvanópolis e mais quatro postos, nos municípios de Tocantinópolis, Colinas do Tocantins, Gurupi e Lagoa da Confusão.