Estado

O Conselho Estadual sobre Drogas, vinculado à Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça, está selecionando comunidades terapêuticas que irão ofertas 40 vagas para acolher pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substância psicoativa. A reunião que irá selecionar as instituições acontece nesta quarta-feira, 3, às 9 horas, na sala de reuniões da secretaria.

O gerente de Prevenção contra as Drogas, Júnior Américo, conta que os serviços de acolhimento que serão feito pelas comunidades terapêuticas destinam-se a pessoas com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substância psicoativa, que necessitem de afastamento, por período prolongado, do ambiente no qual se iniciou, desenvolveu e estabeleceu o uso e dependência de substância psicoativa, como o crack e outras drogas.

“As 40 vagas serão disponibilizadas para atender a demanda do Estado e destinadas às pessoas que voluntariamente queiram se recuperar e receber tratamento em comunidades terapêuticas, sempre observando os critérios como vagas sociais. Cada pessoa com transtornos decorrentes do uso, abuso ou dependência de substância psicoativa poderá ser acolhida pelas entidades selecionadas pelo período máximo de doze meses”, explica Júnior Américo.

Para selecionar as comunidades terapêuticas a Secretaria de Cidadania e Justiça, em consonância com a deliberação do Conselho Estadual sobre Drogas, publicou edital no Diário Oficial do Estado do Tocantins (DOU-TO) Nº 4.467 do dia 29 de setembro de 2015. Sendo assim, seis instituições de acolhimento terapêutico se inscreveram para firmar contrato e estão em fase de seleção. Como uma desistiu apenas cinco terão inscrições deliberadas.

O gerente de Prevenção contra as Drogas conta que o orçamento para custear as despesas relativas às contratações com as instituições ocorrerá por conta do orçamento do Fundo Estadual Antidrogas. “O valor relativo ao pagamento pela prestação dos serviços de acolhimento por mês será de R$ 850,00. Pagamento esse que visa cobrir todos os custos, tais como hospedagem, alimentação, cuidados de higiene e atividades contempladas no projeto de acolhimento”, conclui Américo.