Polí­cia

No início da tarde desta quarta-feira, 3, policiais civis da Delegacia Estadual de Investigações Criminais ( DEIC) de Palmas, com apoio de agentes da DEIC de Araguaína, deflagraram uma operação de combate à criminalidade a qual resultou nas prisões de Raidan F. A., de 25 anos de idade, Jamir C. J., de 40 anos de idade e Elizangela M. de A., de 33 anos de idade.

Os três indivíduos são suspeitos de praticar um assalto a uma residência, naquele município, e foram presos em virtude de cumprimento de mandados de prisão preventiva, naquele município.

Conforme informações da delegada titular da Deic e responsável pela operação, Liliane Albuquerque Amorim, no dia 15 de novembro de 2015, os três suspeitos, juntamente com Hélio A. B., de 30 anos, o qual já se encontra preso pela prática de um latrocínio contra um funcionário de cartório, em Porto Nacional, e um quinto indivíduo, que se encontra foragido, adentraram residência de um casal, que é proprietário de uma loja de bolos, em Araguaína e, após render os donos do imóvel, subtraíram a quantia de R$ 18.000,00, que os mesmos mantinham em casa.

Segundo apontaram as investigações da Deic, de Palmas, Elizangela, que era funcionária do estabelecimento comercial, tinha conhecimento de que seus patrões não costumavam depositar com frequência, em bancos, o dinheiro movimentado durante o dia no comércio e, desta maneira, contou a seu esposo Jamir que o casal levava o dinheiro para casa.

O homem então se associou aos outros três suspeitos e, na noite do dia 15 de novembro, seguiu os proprietários pela cidade e quando os mesmo retornaram para casa, vindos de uma pizzaria, foram rendidos e amordaçados. Os suspeitos então roubaram a quantia mencionada, fugindo em seguida.

Depois do crime, os suspeitos dividiram a quantia entre si, sendo que, a mulher continuou a trabalhar no comércio, normalmente como se nada tivesse acontecido.

O casal foi preso, por volta do meio dia, quando Jamir foi ao estabelecimento comercial para levar a esposa Elizangela para casa, a qual ao ser presa, usava o uniforme de seu local de trabalho. Após os procedimentos cabíveis, Raidan, Jamir e Elizangela foram encaminhados, respectivamente, para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína e para a Cadeia Feminina de Babaçulândia, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. A Deic intensificou as investigações com o objetivo de localizar e prender o quinto envolvido no crime. 

De acordo com a Deic, após cometer o crime, Hélio fugiu para Araguaína, onde se juntou aos outros suspeitos para roubar a quantia mencionada. Por esse crime, os policiais civis também cumpriram mandado de prisão preventiva contra Hélio, o qual atualmente se encontra preso na Casa de Prisão Provisória de Palmas/TO.