Campo

Foto: Luciano Ribeiro Clemente Barros diz que a construção dos matadouros municipais vai gerar impacto direto na segurança alimentar Clemente Barros diz que a construção dos matadouros municipais vai gerar impacto direto na segurança alimentar

O primeiro semestre de 2016 no Tocantins será marcado pela retomada de diversos projetos agropecuários que estavam paralisados há mais de dois anos. Após negociações e regularizações junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Mundial e Ministério da Integração Nacional, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), conseguiu a liberação de recursos de mais de R$ 650 milhões para o andamento de obras que irão alavancar o setor agropecuário do Estado.

Deste valor, R$ 480 milhões, provenientes de financiamento do BID, para o Programa de Desenvolvimento da Região Sudoeste do Estado do Tocantins (Prodoeste). O recurso será para a construção do reservatório principal, com capacidade de 190 milhões de metros cúbicos, e oito barragens de médio porte. “Essas obras darão condições de perenização dos rios Pium e Riozinho, aumento da área de produção dos municípios de Pium e Lagoa da Confusão, que hoje não é possível devido a falta de água, com o Prodoeste, a área que é de 70 mil hectares, passará para 150 mil. O edital está sendo analisado pelo BID, e assim que for liberado será licitado”, explica o secretário da Agricultura, Clemente Barros.

Ainda na área hídrica, será revitalizado o Projeto Rio Formoso, com recursos de R$ 116 milhões, por meio de termo de compromisso assinado entre o Governo do Estado e o Ministério da Integração Nacional. O projeto abrange uma área irrigável de 28 mil hectares, situado na região Sudoeste do Estado. Será contemplada na revitalização a recuperação dos diques e das tomadas de água das barragens; recuperação da infraestrutura dos canais de adução e os coletores de drenagem; estações de bombeamento de drenagem; além da estrada de acesso ao longo de todas as adutoras e coletores gerais. O processo já está em analise e dentro de 60 dias deverá ser licitado.

Projeto hidroagrícola

Para a construção da área administrativa do projeto de irrigação de fruticultura Manuel Alves, término do projeto de drenagem, cercar todo o perímetro do projeto e aquisição de equipamentos de irrigação, o Governo conseguiu junto ao Ministério da Integração recurso no valor de R$ 30 milhões. O processo já está na comissão de licitação da Secretaria da Infraestrutura.

O secretário da Agricultura ressalta que o projeto está mudando a realidade dos produtores de frutas na região Sudeste do Estado. “A produção é comercializada com outros estados das regiões Sul, Sudeste e Norte. Cerca de 100 lotes que estão produzindo geram mais de 350 empregos diretos”.

Pecuária

Projetos do setor da pecuária também foram contemplados e vão sair do papel ainda neste semestre. Com recursos de R$ 27 milhões, serão construídos 16 matadouros/abatedouros distribuídos nas regiões produtoras do Estado. As obras serão realizadas no âmbito do Programa de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável (PDRIS), através do convênio firmado entre Governo do Estado e Banco Mundial.

Clemente Barros diz que a construção dos matadouros municipais vai gerar impacto direto na segurança alimentar e consequentemente na saúde da população. “Atualmente 80% dos municípios tocantinenses não possuem matadouros frigoríficos e o abate é feito clandestinamente em condições precárias oferecendo riscos à saúde da população”, argumenta.