Estado

Foto: Divulgação

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra no Estado do Tocantins está apreensivo com a desocupação forçada das famílias Sem Terra do Acampamento Olga Benário, localizado às margens da Rodovia Belém Brasília – BR-153 próximo ao município de Fortaleza do Tabocão e Rio dos Bois/TO. A desocupação forçada do acampamento Olga Benário está prevista para acontecer a partir do dia 15 de fevereiro de 2016. 

A ação judicial foi movida pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), na qual o órgão está exigindo a desocupação forçada de todas as famílias que residem às margens da referida rodovia na data acima mencionada.

O MST afirma que, lamentavelmente, até o momento, nem o Incra, o Dnit e nem a justiça tem um local para onde abrigar as famílias acampadas que serão despejadas. "Entendemos também que tal fato, ocorre pelo descomprometimento dos governos e governantes para com a reforma agrária em nosso País e que esta ação nos soa como criminalização da luta social historicamente existente em nosso país", alega o movimento.

O acampamento Olga Benário foi instalado a partir de 22 de junho de 2013, com vistas à aquisição, pelo Incra, da Fazenda Araguarina para o assentamento de cerca de 450 famílias. Segundo o movimento, se não fosse à morosidade do Incra, as famílias do acampamento Olga Benário já estariam assentadas na terra pretendida, já que se trata de um imóvel que foi ofertado para o Incra ainda em 2012 e a partir do segundo semestre de 2013 o Incra iniciou processo de desapropriação/aquisição da área.

Diante desta situação, o movimento espera que o Governo Federal resolva rapidamente a situação, adquirindo a área para o assentamento das famílias acampadas, uma vez que, segundo informações, está dependendo, somente do Incra em Brasília.