Saúde

Foto: Josy Karla Médico Jorge Saad reforça que o diagnóstico precoce do câncer aumenta significativamente as chances de cura Médico Jorge Saad reforça que o diagnóstico precoce do câncer aumenta significativamente as chances de cura

No Dia Mundial do Câncer, celebrado nesta quinta-feira, 4, o Governo do Tocantins reforça a orientação para a importância da prevenção da doença que acomete milhares de pessoas em todo o mundo. Só no Tocantins, de acordo com dados parciais, em 2014 foram 1.393 casos e em 2015 o número chegou a 1.420 novos casos. Os dados ainda serão avaliados pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Conforme o Inca, a estimativa de casos novos no Estado, para o biênio 2014/2015, apontou a ocorrência de 410 casos de câncer de próstata, 180 casos de câncer de mama e 180 de colo de útero.

O médico e coordenador do serviço de Oncologia do HGP, Jorge Saad, reforça que o diagnóstico precoce do câncer aumenta significativamente as chances de cura, melhora a sobrevida e a qualidade de vida do paciente. “As opções de tratamento são mais efetivas quando o tumor está localizado em somente um órgão do corpo, sem invasão de tecidos vizinhos ou outras estruturas. No Brasil, estima-se que cerca de 40% das mortes por câncer poderiam ser evitadas com ações de prevenção, detecção precoce e acesso ao tratamento adequado. Estas medidas antecipadas também permitem a redução de despesas”, explica.

Sintomas e sinais

O médico ainda ressalta que é relevante conhecer os principais sinais e sintomas relacionados ao câncer, porém isto não quer dizer que ter um destes sintomas significa que a pessoa possa ter câncer, pois muitas outras doenças também podem provocar as mesmas reações no organismo. Ele orienta que ao apresentar sintomas por período prolongado, a pessoa procure um médico.

Os sinais mais comuns são perda de peso inexplicada, febre, fadiga, dor, alterações na pele, mudança nos hábitos intestinais ou da função urinária, ferida que não cicatriza manchas brancas na boca ou na língua, hemorragia, espessamento ou nódulo na mama ou em outras partes do corpo, indigestão ou dificuldade para engolir, tosse persistente ou rouquidão.

Diagnóstico precoce

A dona de casa Jacy Alves Pinheiro, moradora de Palmas, conta que percebeu nódulo na mama e procurou ajuda médica imediatamente. “Notei um nódulo e busquei logo ajuda. Fiz biópsia e foi diagnosticado um nódulo maligno. A cada dia era uma vitória, foram 12 anos em tratamento”, disse. A dona de casa manda ainda um recado às mulheres, para que não deixem de fazer o autoexame, que ajuda a diagnosticar o câncer de mama.

Ações pelo Estado

De acordo com o técnico da Gerência da Rede de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Robson José da Silva, este ano a proposta é de reforço ao trabalho conjunto com os municípios. “Nós temos no Estado 47 municípios que conseguiriam atingir e superar a meta prevista no sistema de pactuação. Os municípios que não conseguiriam atingir a meta receberão o apoio matricial e os técnicos da Sesau irão aos locais em houve alguma dificuldade em desenvolver ações de oferta de serviços”, explica.

O técnico cita ainda algumas ações importantes que fazem a diferença, como abordar mulheres e o homens que estão na Unidade Básica de Saúde levando o filho para vacinar, por exemplo, para aproveitar o momento e orientar sobre a prevenção do câncer. “Os profissionais de saúde podem ir a grupos de oração na comunidade, escolas ou campo de futebol para conscientizar sobre a doença e diagnóstico precoce”, exemplificou.

Rede de atendimento

As redes de atendimento no Estado envolvem ações de prevenção e detecção precoce do câncer. Também são realizadas orientações sobre prevenção e exames básicos nas unidades de saúde dos municípios. Caso haja alguma alteração nos exames, os pacientes são encaminhados as Unidades de Referência Secundárias, que hoje estão nos Hospitais de Referência para confirmação diagnóstica.

O tratamento do câncer é realizado em duas unidades de alta complexidade, em Palmas, no Hospital Geral de Palmas (HGP), que oferece especialidades como oncologia e tratamento clínico, cirurgia e quimioterapia. Já em Araguaína, no norte do Estado, o Hospital Regional de Araguaína (HRA) dispõe de tratamento clínico e oncológico e oferta de cirurgia e quimioterapia.