Saúde

Foto: Wherbert Araujo

Dentro da programação da grande mobilização nacional em combate ao mosquito Aedes Aegypti, o município de Miracema do Tocantins, a 60 quilômetros de Palmas reuniu na manhã deste sábado, 13, dezenas de pessoas que percorreram cerca de 600 residências em grande parte da cidade. A ação, coordenada pela prefeitura municipal em parceria com o Governo do Estado, por meio da Defesa Civil Estadual, utilizou maquinários pesados que recolheram entulhos e também distribuiu panfletos informativos e cerca de dois mil sacos de coleta de lixo. Em todo o País, mais de 350 municípios também realizaram mobilização.

De acordo com o diretor executivo da Defesa Civil Estadual, o major bombeiro Diógenes Madeira, o trabalho em conjunto é importante para que luta contra o mosquito seja vencida. “É imprescindível esta união de forças. Mas precisamos sempre reforçar o constante alerta aos moradores para colaborar no combate ao mosquito”, afirmou. Ainda segundo o diretor executivo, outras ações semelhantes estão sendo organizadas para a próxima semana. Desta vez na região Sul do Estado.

Segundo a prefeita de Miracema do Tocantins, Magda Borba, a ação dos órgãos públicos necessita da colaboração de todos os moradores. “O poder público sozinho não consegue realizar o combate ao mosquito. A preocupação precisa ser de todos, para que juntos consigamos erradicar as doenças oriundas deste vetor em nossa cidade”, afirmou.

Cuidados

A dona de casa Antônia Bezerra da Luz, que já passou pela experiência de contrair a dengue ressalta que os cuidados devem ser constantes. “Eu procuro sempre manter limpo o quintal para que esta doença não volte para a minha casa”, afirmou. Já a moradora Haysley Morgana Galvão, a preocupação com a limpeza deve ser de todos, não só de um morador. “Não adianta nada eu fazer a minha parte se o meu vizinho não colabora. Infelizmente tenho visto isso. Todos precisam ajudar”, afirmou. De acordo com o agente de saúde Jada Brito Bezerra, das 130 residências atendidas pela sua rota de atuação, mais da metade já contraiu dengue. “Não podemos descansar nenhum minuto”, afirmou.

Visitas domiciliares

Dados da Secretaria do Estado da Saúde (Sesau) revelam que em 2015, em todo o Tocantins, foram realizadas 3.981.786 inspeções prediais por agentes de endemias dos 139 municípios. A estimativa é que no Tocantins existam 592.899 imóveis urbanos e que cada imóvel foi inspecionado em 2015 cerca de sete vezes. As inspeções são visitas realizadas por agentes municipais com o intuito de orientar os responsáveis pelo imóvel sobre medidas preventivas, bem como localizar potenciais depósitos de água parada para recomendar aos responsáveis a adoção de medidas corretivas que evitem o acúmulo de água e, consequentemente, a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Notificações

O mosquito Aedes aegypti é o vetor transmissor da dengue, zika e febre de chikungunya. No Tocantins, nas cinco primeiras semanas de 2015 tinham sido registrados 1.006 casos suspeitos de dengue. No mesmo período de 2016, foram notificados 4.014 casos suspeitos. Com relação à zika, desde 2015 foram registrados 1.640 notificações de casos suspeitos até o momento. Sendo que 14 casos da doença foram confirmados no Estado. Com relação à Febre de Chikungunya, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2015, foram notificados 199 casos suspeitos da doença. No período de janeiro a fevereiro de 2016, 271 casos suspeitos foram registrados em todo o Estado. No entanto, apenas um caso foi confirmado em 2015. Não há casos confirmados em 2016.