Economia

Foto: Divulgação

Muitas pessoas falam que é só depois do carnaval que o ano começa. Pois é, a folia vai embora e começam as preocupações novamente! E uma delas é o desespero para sanar as dívidas da melhor maneira possível. Além do IPTU, IPVA, as matrículas escolares, cartão de crédito, viagens, somam-se também os gastos do natal e do réveillon no orçamento.

Segundo Fábio Yamamoto, sócio da Tiex, empresa de consultoria e gestão corporativa, os brasileiros já sabem que início do ano é o período onde se concentram as contas mais pesadas. “Mesmo sabendo que o orçamento vai ficar apertado, a maioria não tem o costume de se programar para essas despesas”, explica.

Mas não há motivo para pânico! Com um pouquinho de planejamento e disciplina é possível passar por esse período sem sufoco. Veja abaixo cinco dicas do especialista para superar o aperto das contas de inicio do ano e se planejar para os próximos anos.

1.    Reservar recursos

Planejar-se para o aumento das despesas nesse período do ano é essencial. E um jeito fácil de fazer isso é ir acumulando reservas durante o ano.  Para isso, é preciso fazer uma estimativa da quantidade necessária para honrar estes compromissos, e tentar reservar recursos todo mês. É muito importante estabelecer uma meta para que gastos supérfluos não interfiram nesta “poupança”.

Esta dica também vale para qualquer gasto excessivo que se pretenda fazer. “Planejar é o caminho mais curto para atingir qualquer meta”, afirma Yamamoto.

2.    Parcelar os pagamentos

Muita gente vê com negatividade o parcelamento de despesas e a contratação de empréstimos ou financiamentos, mas o endividamento não deve ser encarado como um vilão. Desde que seja feito com uma avaliação criteriosa, não há porque temer o endividamento.

No caso das empresas, o retorno obtido ou o custo evitado com o investimento e/ou aplicação efetuada dos recursos captados devem ser superiores ao custo do endividamento. Já no caso das pessoas físicas, essa conta não é tão simples, mas as premissas são similares, por exemplo, contratar um empréstimo para evitar pagamento de juros do cartão de crédito ou do cheque especial é sempre mais vantajoso. Mas cuidado, sempre se pergunte: “será possível eu honrar o pagamento das prestações de um empréstimo?”

3.    Postergar os gastos

Sabe aquela promoção imperdível? Ou até mesmo aquela viagem maravilhosa? Tudo isso pode ser adiado! Exceto se você se planejou para efetuar tais gastos, nesta época do ano a hora é de controle e economia.

“Avaliar os gastos atuais e evitar compras desnecessárias, não só ajudará neste início de ano estressante, mas trará uma economia permanente, possibilitando, no futuro, aquela viagem dos sonhos”, continua.

4.    Priorizar

Saber diferenciar os gastos inevitáveis, daqueles não tão urgentes é muito importante. Priorize sempre os gastos essenciais. Lembrando que pesquisas de preço podem e devem ser feitas.

Também é importante saber qual a melhor forma de pagamento para o seu bolso. Por exemplo, apesar de ser interessante pagar o IPVA e o IPTU em uma única parcela, devido à vantagem dos descontos concedidos, “zerar” as contas pagando a vista pode ser muito perigoso, uma vez que podem surgir imprevistos. 

Por isso vale refletir bastante antes de escolher a forma de pagamento. O cartão de crédito com pagamento do mínimo ou parcelado deve sempre ser evitado graças às multas abusivas. Esse, na verdade, é o principal fator de descontrole financeiro das famílias brasileiras!

5.    Aproveitar

Sobrou dinheiro? Viaje! Curta as férias e aproveite!  Caso não tenha sobrado muito é possível divertir-se com programas baratos ou até gratuitos: um piquenique no parque, uma visita aos museus da cidade, um cineminha. Use sua imaginação e não se esqueça de planejar-se para o próximo ano.

Por: Redação

Tags: Fábio Yamamoto, IPTU, IPVA, Tiex