Polí­cia

Foto: Divulgação

Neste final de semana, mais uma ação de combate à criminalidade foi deflagrada por policiais civis da Central de Flagrantes de Palmas, em conjunto com agentes do Grupo de Operações Táticas Especiais (GOTE) a qual resultou na apreensão de 12 máquinas caça-níqueis e na detenção em flagrante de seis homens acusados de exploração de jogos de azar, na Capital.

Conforme o delegado Evaldo de Oliveira Gomes, responsável pela operação, as investigações foram iniciadas a partir de denúncias anônimas de que alguns proprietários de estabelecimentos comerciais da região sul de Palmas estariam explorando jogos de azar em máquinas caça-níqueis, prática que é proibida por lei. Com base nessas informações, os policiais civis deslocaram-se até bares localizados nas quadras 604, 712 e 806 Sul, onde apreenderam algumas máquinas. Em seguida, os agentes foram até o setor Taquaralto, onde apreenderam mais algumas máquinas totalizando 12 equipamentos apreendidos.

Durante as ações da Polícia Civil, foram detidos; Amaury Pereira da Silva, de 32 anos, Deusamar Roberto Maia, 43 anos, Edivaldo Pereira de Sousa, 38 anos, Juarêz Barbosa de Sousa Júnior, 25 anos, Bemilson da Silva, de 32 anos e Gerson Mendes da Silva, 48. Todos foram autuados por exploração de jogos de azar, conforme determina a lei de contravenções penais e responderão aos respectivos processos em liberdade.  

Ainda de acordo com o delegado Evaldo, a quantia de apostas realizadas nas máquinas era considerável e o número de apostadores estava crescendo. “De acordo com as nossas investigações, cada máquina de caça-níquel apreendida chegava a movimentar cerca de R$ 2 mil reais por dia, o que gerava um lucro imenso para os operadores dos equipamentos, uma vez que dificilmente os apostadores chegavam a ganhar algum dinheiro com as apostas”, ressaltou.

Os equipamentos foram submetidos à perícia oficial do Estado e estão à disposição do Poder Judiciário.