Saúde

Foto: Ronaldo Mitt

Em 2016, os tocantinenses escolherão os próximos prefeitos dos 139 municípios do Estado. Tendo em vista as possíveis mudanças nas gestões municipais, secretários de saúde de diversas cidades do Tocantins estiveram reunidos nesta última quarta-feira, 17, no hotel Girassol Plaza, em Palmas, discutindo a transição da gestão municipal de saúde, durante o 16º Encontro de Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins. O Ministério Público Estadual (MPE) participou do evento, que reuniu representantes de entidades e profissionais da área.

A promotora de Justiça Maria Roseli de Almeida Pery discursou na abertura do encontro e salientou os desafios da transição que sempre ocorrem com as mudanças no Poder Executivo Municipal, sobretudo quanto ao desmantelamento das ações e serviços estruturados. “Nem todos os problemas da saúde se resumem à falta de recursos financeiros, as auditorias do Denasus comprovam essa afirmativa. Existem muitas falhas no planejamento da saúde nos municípios, bem como fragilidade na execução e controle das ações de vigilância e de atenção à saúde. É inadmissível o retrocesso da gestão em decorrência do processo eleitoral", criticou Maria Roseli.

A representante do MPE também ressaltou que é preciso combater a corrupção na saúde e agir de forma incansável na busca pela eficiência na prestação dos serviços. “É preciso que os órgãos de gestão e de controle se fortaleçam. A saúde não pode ser tratada como moeda de troca eleitoreira. Sem planejamento, execução e controle das ações e serviços de saúde, de forma eficiente, é impossível se efetivar o direito à saúde”, finalizou a Promotora de Justiça.

O 16º Encontro de Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins é uma realização do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado do Tocantins.