Campo

Foto: Divulgação

Mais dois equinos foram diagnosticados com a doença de mormo no Tocantins. Os casos foram confirmados pela Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), nesta semana, no município de Sandolândia, região sudoeste do Tocantins, a 420 quilômetros de Palmas. Com os novos resultados, passa para 24 o número de animais contaminados, em 12 propriedades rurais.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo, explica que nos próximos dias novas medidas para o trânsito de equídeos serão publicadas no Diário Oficial do Estado, no intuito de evitar que a doença se espalhe. “O maior desafio do órgão é contar com a conscientização dos produtores rurais, pois cabe a eles prevenirem os animais contra a doença. É de fundamental importância redobrar a atenção para impedir que a doença se alastre, colocando em risco não só os animais, mas também as pessoas que podem ser contaminadas com o Mormo”, disse.

De acordo com a responsável Técnica pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos, Ana Lúcia Rodrigues, os novos casos foram confirmados após um alerta da Agência de Minas Gerais à Adapec. “Um animal entrou no Tocantins com exame negativo para o Mormo, no entanto, fomos informados de que ele havia tido contato com outro animal doente, na mesma propriedade rural de origem, em Pedro Leopoldo-MG. Com a suspeita, fizemos a investigação, já que a doença pode ficar incubada, e o resultado deu positivo”, explica.

Com essas informações, os técnicos da Adapec tomaram todas as medidas sanitárias: interdição da propriedade rural, sacrifício dos animais positivos, impedimento do ingresso e egresso de equídeos. Além disso, realizou a colheita de 53 amostras de sangue nos equídeos da propriedade. “Entre 45 e 90 dias faremos os testes complementares em três animais que foram isolados, pois os exames deram inconclusivos e anticomplementares”, complementou Ana Lúcia.

A Adapec tem intensificado a fiscalização no trânsito de equídeos, realizando palestras em todo o Estado levando informações sobre o Mormo. Além disso, a cada novo registro é realizado uma investigação epidemiológica, identificando possíveis vínculos entre propriedades para a colheita de sangue de todos os animais, de forma gratuita. Todo o material colhido é enviado ao Lanagro - Laboratório Oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Mormo

O Mormo é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Burkholderia mallei que acomete principalmente os equídeos. Essa doença pode atacar o homem e levar à morte se não tratada a tempo. O contato direto do animal sadio com doente ao compartilharem o mesmo cocho, bebedouro e contato físico com animais com feridas expostas, estão entre os maiores riscos de transmissão.

Por: Redação

Tags: Adapec, Humberto Camêlo, campo