Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Eli Borges (Pros) disse em sessão nesta terça-feira, 1° de março, na Assembleia Legislativa do Tocantins que vai colher aproximadamente 30 mil assinaturas pelo Estado no intuito de inserir os pais na escolha do material didático infantil das escolas. Segundo o parlamentar, a escolha acontece apenas por professores. “O MEC coloca numa alternativa muito esperta, os professores para escolher o material didático, e eles não leem muito”, criticou.

Elenil da Penha (PMDB) concordou com a posição do Eli Borges quanto ao material didático. “É um grande risco e tira a precedência dos pais, da família”, afirmou. 

O deputado Eli Borges lembrou decisões no ano passado que resultaram na eliminação da inserção do que ele chamou de "ideologia de gênero" nas escolas. "Ao arrepio da lei que votamos no Estado, das leis que foram votadas nas câmaras e ao arrepio ao que diz a Constituição Federal e o Plano Nacional da Educação as coisas continuam acontecendo. Esse debate é em detrimento de ativistas e um debate que visa a legalidade", criticou. 

Eli Borges apresentou, em telão, algumas imagens de livros infantis. Em página de determinado livro, o deputado criticou um exercício por conter imagens de diferentes tipos de família. "Marque a imagem da família que é semelhante a sua. Ora, a criança não sabe diferenciar o que é sugestão, o que informação e o que e ordenança. Ela não está preparada para isso, está na fase cognitiva", afirmou. O deputado também criticou imagem com dois homens e uma criança adotada e ainda, informações sobre sexo. "Estamos vivendo uma tsunami nessa nação de desrespeito à família. Elas (famílias) não permitem, em hipótese nenhuma, a afronta à criança que não está preparada para o debate", disse. 

O parlamentar explicou defender o maior patrimônio da sociedade que, segundo ele, é a família."A nossa Constituição Federal deixa muito claro o que é família e não adiante alguém querer mudar. Para efeito da proteção do estado, é reconhecida a união estável entre homem e a mulher, home macho e mulher fêmea, como entidade familiar devendo a lei facilitar a conversão em casamento", disse o deputado. 

Ainda de acordo com Eli Borges, a ideologia de gênero prega o incesto. "O relacionamento sexual entre membros da mesma família. A ideologia de gênero quer trazer que o pedófilo nasceu pedófilo e tem o direito de fazer pedofilia. O grande alvo são as crianças, eu tenho que proteger essa sociedade porque a última reserva desse mundo imoral é a família", defendeu. 

Eli Borges concluiu: "É claro que vão dizer que esse deputado está dizendo um monte de besterol, que ele é homofóbico e etc (sic). Sabe o que estou fazendo aqui?! Protegendo as crianças. Que esses livros sejam recolhidos! Estou dizendo a todos os professores, que eles poderão ser alvo de ações amanhã e esse deputado vai cuidar disso. E quero dizer a todos os pais do Tocantins, se precisar de guarida jurídica, estou preparando um apoio jurídico a todos os pais que veem seus filhos ainda na fase cognitiva violentados nos seus conceitos e princípios", completou.