Estado

Foto: Lia Mara

Em busca de minimizar as polêmicas geradas pela passagem dos caminhões transportadores de grãos no perímetro urbano de Palmas, o Governo do Estado vem estudando o assunto. Algumas alternativas foram discutidas pelo governador Marcelo Miranda, nessa terça-feira, 8, com os deputados estaduais Olyntho Neto, Cleiton Cardoso e Júnior Evangelista, durante audiência no Palácio Araguaia. 

Na ocasião, o governador disse reconhecer a importância do agronegócio para economia do Tocantins e mostrou-se empenhado em buscar alternativas viáveis para amenizar o processo de escoação dos produtos. 

O presidente da ATR, Jota Patrocínio, apresentou duas propostas paliativas, até que a outra ponte seja construída em Porto Nacional: “uma delas é que a produção seja transportada através de barcaças, no percurso que compreende Porto Nacional a Luzimangues; a outra é utilização de balsas em Porto Nacional, para travessia dos caminhões, de onde devem seguir até o Pátio da Ferrovia Norte-Sul, em Luzimangues”, explicou. 

O deputado estadual Olyntho Neto disse que a reunião com o governador foi bastante positiva e que várias possibilidades estão sendo estudadas. “O agronegócio é o sustentáculo da nossa economia e o governador Marcelo Miranda é sensível ao problema”, disse.

Medidas

O presidente da Agência Tocantinense de Regulação (ATR), Jota Patrocínio, explicou que o órgão já acordou com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) o início do processo de outorga, que permitirá a ATR conduzir o processo de concessão e autorização da travessia de transporte fluvial por meio de balsas. Uma equipe do órgão federal e do Ministério Público da União (MPU) virá ao Tocantins ainda este mês para agilizar os detalhes do processo. “A intenção do governador é não prejudicar o escoamento da produção”. 

Ponte Rio Tocantins 

As balsas atenderão às necessidades logísticas enquanto o Governo do Estado trabalha na construção da ponte sobre o Rio Tocantins. Está tramitando na Assembleia Legislativa, um projeto de lei que autoriza financiamento junto a uma instituição financeira. Concretizado o financiamento, o governo Marcelo Miranda vai colocar fim a um problema que se arrasta há anos.