Cultura

Foto: Divulgação

A Escola Municipal Gilberto Rezende Rocha Filho, em Gurupi, celebrou o Dia Nacional da Poesia, nesta última segunda-feira, 14, com uma palestra motivacional e de incentivo à leitura, seguida de recital de poesias com o poeta e jornalista Zacarias Martins, titular da Academia Tocantinense de Letras.

A diretora da escola, Neuza Pereira, disse que a presença de Zacarias Martins nesta celebração ao Dia Nacional da Poesia,  é motivo de orgulho  para toda a comunidade escolar. “O poeta Zacarias Martins  é parceiro da nossa escola há muito tempo. Além disso, ele tem um jeito cativante, todo seu, de ministrar suas palestras motivacionais e de incentivo à leitura, o que prende a atenção dos nossos alunos”, afirmou a diretora, ressaltando que a leitura é primordial para a educação.

Ainda segundo a diretora, na atual conjuntura em que vivemos,  num mundo com novas tecnologias ao alcance de  todos, praticamente, não existe cultura e muito menos não existe educação, se não for trabalhado o incentivo à leitura. “Um País que não lê, não escreve, consequentemente, não está apto a desenvolver nem educação, nem a cultura”, concluiu. 

Para  Zacarias Martins, trabalhar a questão do incentivo à leitura junto ao alunado e ter a oportunidade de divulgar seu trabalho poético são coisas prazerosas. “Sinto-me gratificado em poder colaborar, de alguma forma, para a formação intelectual desses alunos, para que no futuro eles possam se transformar em verdadeiros cidadãos, com mentalidade crítica e conscientes dos seus direitos e deveres perante a sociedade onde vivem”, afirmou Martins.

Dia da Poesia

O Dia Nacional da Poesia foi criado para homenagear Antônio Frederico de Castro Alves,  importante poeta brasileiro do século XIXM que nasceu na cidade de Curralinho/BA em 14 de março de 1847.

No período em que viveu (1847-1871), ainda existia a escravidão no Brasil. O jovem baiano, simpático e gentil, apesar de possuir gosto sofisticado para roupas e de levar uma vida relativamente confortável, foi capaz de compreender as dificuldades dos negros escravizados.

Manifestou toda sua sensibilidade escrevendo versos de protesto contra a situação a qual os negros eram submetidos. Este seu estilo contestador o tornou conhecido como o “Poeta dos Escravos”. 

Aos 21 anos de idade, mostrou toda sua coragem ao recitar, durante uma comemoração cívica, o “Navio Negreiro”. A contra gosto, os fazendeiros ouviram-no clamar versos que denunciavam os maus tratos aos quais os negros eram submetidos. 

Além de poesia de caráter social, este grande escritor também escreveu versos líricos-amorosos, de acordo com o estilo de Vítor Hugo. Pode-se dizer que Castro Alves foi um poeta de transição entre o Romantismo e o Parnasianismo. 

Este notável escritor morreu ainda jovem, antes mesmo de terminar o curso de Direito que iniciara, pois, vinha sofrendo de tuberculose desde os seus 16 anos.