Economia

Foto: Divulgação

A população brasileira somou mais de 204,4 milhões de habitantes em 2015, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Neste mesmo ano, o número de desempregados chegou a 8,589 milhões – um aumento de 27,4%, em relação a 2014, que teve média de 6,743 milhões de desocupados. O cenário foi divulgado nessa terça-feira, 15 de março, pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) do IBGE. 

No quarto trimestre do ano passado, a taxa de desocupação no Brasil foi de 9,0% – 2,5% maior do que em 2014. De acordo com a pesquisa, de 2012 pra cá, essa foi a maior taxa. O Norte e a Nordeste foram as regiões mais afetadas – a primeira passou de 6,8% para 8,7% e a outra de 8,3% para 10,5%. Porém, as demais regiões também registraram crescimento: o Sudeste passou de 6,6% para 9,6%; o Sul de 3,8% para 5,7% e o Centro-Oeste de 5,3% para 7,4%. 

Ainda, segundo a Pnad, a população ocupada passou de 92,112 milhões em 2014 para 92,150 milhões em 2015. No período, o número de trabalhadores no setor privado com carteira de trabalho assinada reduziu em 2,5% na passagem de 2014 para 2015 – passou de 36,610 milhões para 35,701 milhões. 

Renda/perfil

O rendimento médio real habitual de todos os trabalhos teve recuo de 0,2% no período, sai da média de R$ 1.947 em 2014 para R$ 1.944 em 2015. A massa de renda real habitual ficou praticamente estável: de uma média de R$ 173,577 bilhões em 2014 para R$ 173,570 bilhões em 2015. 

Já em relação ao grupo de desocupados, a pesquisa mostrou que 36,0% tem entre 25 a 39 anos de idade e 32,4% têm entre 18 a 24 anos. Ainda sobre os desempregados: 51,5% deles concluíram o ensino médio; cerca de 26,2% concluíram o ensino fundamental e 9,0% tinham o superior completo. (CNM)