Economia

Foto: Divulgação

O consumo de ovos de chocolate na Páscoa será menor para o tocantinense, confirmando estudos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e o quadro recessivo da economia nacional. A média das três maiores cidades do Estado – Palmas, Araguaína e Gurupi – apontou que 47,2% tem intenção de presentear contra 59,6% de 2015, resultando numa redução de 12,4%. A Capital teve 36,7% de intenção, Araguaína, 53,7% e Gurupi, 51,3%. A pesquisa “Expectativa de Consumo – Páscoa 2016” foi realizada pelo Instituto Fecomércio Tocantins em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Para o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, o cenário não poderia ser outro em face da situação econômica do País. “Infelizmente, teremos uma Páscoa com redução no consumo. Não queríamos que fosse assim, um baixo consumo este resultado de uma recessão na economia, crise no setor político e aumento do desemprego”, ressaltou Pisoni.

Em Palmas, dos entrevistados, a intenção é presentear as mães nessa Páscoa (29,9%) tendo como preferência a aquisição de chocolates em forma de ovos de Páscoa (77,8%). A pretensão média de gasto com maior apelo (40,8%) é de até R$ 50,00, sendo a forma de pagamento em dinheiro (74,1%) a mais citada. O local preferido pelo palmense para a realização dessa compra é o supermercado (76,8%). Dos que pretendem parcelar a compra, 50% disseram que será entre 4 e 6 vezes. O desconto no preço foi o fator decisivo para a compra segundo 35,5%. E para 44,9% dos palmenses o ovo de Páscoa está mais caro do que o ano passado.

Também na Capital, sobre a intenção do consumo de pescados na Semana Santa, 39,1% disseram que irão consumir peixe, com preferência pelo fresco (81%), e espécie preferida o pintado (28%). No item turismo e lazer, 48,2% afirmaram que não viajarão nesse período. Para os que disseram que irão viajar (22,6%) os destinos serão cidades fora do Estado (56%).

Em Araguaína – a maior intenção apontada – para 22,9% os presenteados serão os filhos com ovo de Páscoa tradicional (52,8%). O valor a ser gasto pela maioria dos consumidores (55,1%) é de até R$ 50,00, com pagamento em dinheiro (74,1%). O supermercado também foi o local mais apontado para a compra (69,8%). O parcelamento em até 3 vezes foi o mais lembrado (61,1%). O fator decisivo para a compra também foi o desconto no preço (25,5%). No comparativo do preço do ovo de Páscoa deste ano com o de 2015, 50,7% afirmaram estar mais caros.

Ainda em Araguaína, o consumo de pescados na Semana Santa vai ser baixo, já que 50,5%, disseram que não irão consumir. Dos que o farão, (29,7%), a preferência é pelo fresco (84,3%), tendo também o pintado como espécie predileta (20,4%). Com relação ao turismo e ao lazer, 69,9% disseram que não irão viajar. Para os 28,2% que pretendem viajar, o destino será outra cidade do interior do Tocantins (53,9%).

Em Gurupi, 26,3% querem presentear o (a) namorado (a), também com ovos de Páscoa (68,2%) e realizando essa compra também em supermercado (60,5%). A previsão média de gastos para 45,6% dos entrevistados é de até R$ 50,00, com pagamento em dinheiro (79,9%) e dos que pretendem parcelar os gastos, 90,9% preferem em até 3 vezes. O fator determinante para a compra foi a promoção no preço (27,7%). Na comparação de preços dos ovos de Páscoa com relação ao ano passado, 52,9% afirmaram estar mais caros.

Quanto ao consumo de pescados pelos gurupienses, 62,3% querem comprar peixe, do tipo fresco (89,5%), tendo o tucunaré como espécie preferida (25%). Nos quesitos turismo e lazer, 75,4% confirmaram que não viajarão. Entre os que irão viajar (24,4%) outra cidade do interior do Estado também será o destino (49,5%).

A pesquisa

Tendo como objetivo levantar a expectativa de consumo e o perfil do consumidor na Páscoa, a ser celebrada no próximo dia 27 de março, a pesquisa ouviu o total de 1.207 pessoas, sendo 401 em Palmas, 408 em Araguaína e 398 em Gurupi. E foi aplicada entre os dias 29 de fevereiro e 3 de março deste ano, entre pessoas de ambos os sexos e de várias faixas etárias.