Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual José Salomão (PT) apresentou requerimento na sessão ordinária da manhã desta quarta-feira, dia 16, na Assembleia Legislativa do Tocantins, onde sugere ao governo do Estado, a apresentação de Projeto de Lei, de sua autoria, que Institui a Política Estadual de Incentivo à Formação de Bancos de Sementes e Mudas de Variedades e Cultivares Locais, Tradicionais ou Crioula.

De acordo com o deputado, nas regiões rurais ou periurbanas do país, os agricultores, assentados, quilombolas, indígenas e comunidades rurais mantêm tradições seculares, onde trabalham selecionando sementes e mudas e multiplicando-as ao longo dos anos, a partir da observação dos melhores exemplares de cada espécie.

“Esse importante trabalhoso de seleção, multiplicação e armazenagem, promovido no campo em várias comunidades rurais, possibilitam às futuras gerações, o acesso a materiais com carga genética diversificada e aprimorada ao longo dos anos” explicou o parlamentar, ressaltando que o “objetivo é de dar condições, incentivo e diretrizes básicas, aos agricultores e assentados que trabalham  selecionando  sementes e mudas, para que no futuro possam promover o desenvolvimento desta importante atividade que precisa ser ainda mais incentivada e propagada no campo”, disse.

“Nossa proposta é fazer com que haja um incentivo do governo do Estado a esse trabalho, com assistência técnica e pesquisa, no sentido de melhorar e ampliar o trabalho, bem como difundir as sementes e mudas das plantas que apresentam melhor desempenho, tirando proveito da grande variabilidade genética existente nas espécies vegetais”, ressaltou.

José Salomão ainda destaca a importância do projeto para a preservação da biodiversidade. “Esta atividade tem um caráter estratégico inclusive na preservação da nossa biodiversidade, qualificada pelo trabalho permanente promovido no campo ao longo de gerações. Além disso, a prestação de assistência técnica, o apoio do sistema nacional de pesquisa agropecuária e a concessão de créditos e incentivos, tenderão a contribuir para a efetividade do trabalho até aqui conduzido de forma intuitiva por nossos agricultores”, explicou.