Estado

A Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Estadual e Municipal do Estado do Tocantins (Fesserto) realiza, nesta próxima quinta-feira, 31 de março, reunião com os sindicatos do Tocantins para discutir assuntos sobre o índice da data-base de 2016 dos servidores estaduais e a cobrança dos retroativos da data base de maio a outubro de 2015, que deveria ter começado a ser paga em janeiro, mas não ocorreu. A reunião ocorre na sala de cursos da Escola Superior de Advocacia (ESA) na Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins (OAB-TO), em Palmas, a partir das 9 horas.

Para a reunião, a Fesserto convidou 24 sindicatos e associações, envolvendo todas as categorias de funcionários públicos estaduais. As entidades convidadas (confira no final da matéria a lista completa) representam todas as categorias do funcionalismo, já que a questão envolve mais de 34 mil pessoas diretamente.

Por lei, a data-base do funcionalismo estadual é para ser paga no mês de maio. Por isso, os sindicatos já começam a se reunir agora para debater a questão. “Estamos provendo essa reunião para preparar todos os servidores. A data-base já está perto e o governo ainda tem dívidas de 2015 que fez compromisso em lei para pagar e não pagou”, destaca o presidente da Fesserto, Carlos Augusto Melo de Oliveira (Carlão).

Funsaúde

A Fesserto também está cobrando a participação no Conselho Fiscal do Fundo de Assistência a Saúde do Estado do Tocantins (Funsaúde).

A cobrança, por meio de ofício endereçado ao governador Marcelo Miranda, é feita porque em 17 de março o governo do Estado publicou, no Diário Oficial do Estado, ato com a designação de membros para o conselho. No ato, só foram designados membros do Sisepe-TO (Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins), excluindo as demais entidades sindicais do Estado.

“Ocorre que esta federação bem como os sindicatos a ela filiados não souberam da referida discussão e posterior indicação, sendo designados membros efetivos, suplentes e inativos apenas do Sisepe”, destaca o ofício enviado ao governador Marcelo Miranda.

Entidades convidadas

Asmir (Associação dos Militares da Reserva, Reformados, da Ativa e seus Pensionistas do Estado do Tocantins), ASSPMETO (Associação dos Sargentos e Subtenentes da Polícia Militar do Tocantins), Apra (Associação dos Praças Militares do Estado do Tocantins), Sisepe-TO (Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins), Sindifiscal (Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual), Sintras (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Tocantins), Sindlegis (Sindicato dos Servidores Ativos e Inativos da Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins), Sindsemp (Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado do Tocantins), Sindjor (Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Tocantins), Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Tocantins), Sindepol (Sindicato dos Delegados de Policia do Estado do Tocantins), Sintet (Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins), Seageto (Sindicato dos Engenheiros, Arquitetos e Geólogos do Estado do Tocantins), Sinstec (Sindicato dos Servidores do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins), Sinsjusto (Sindicato dos Servidores e Serventuários do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins), Seet (Sindicato dos Trabalhadores em Enfermagem do Estado do Tocantins), Sicideto (Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Estado do Tocantins), Sindifato (Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Tocantins), Simed (Sindicato dos Médicos do Tocantins), Sindjus-TO (Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª. Instância), Sinpef-TO (Sindicato dos Profissionais de Educação Física no Tocantins), Sinfito (Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Tocantins) e AFA-TO (Associação dos Funcionários da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Tocantins).