Educação

Foto: Elias Oliveira A construção coletiva do currículo escolar é uma importante forma de se contemplar as diversidades regionais do país A construção coletiva do currículo escolar é uma importante forma de se contemplar as diversidades regionais do país

A ressignificação curricular da educação pública vem sendo trabalhada pelo Ministério da Educação (MEC) em uma participação conjunta entre secretarias estaduais de Educação, escolas, professores e entidades afins, com o intuito de adequar os currículos escolares às realidades encontradas em cada uma das regiões brasileiras. A parte diversificada da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) vem sendo discutida no Tocantins desde 2015, com participação da comunidade escolar nesse processo.

Por meio de um trabalho de mobilização coordenado pela Secretaria da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) e promovido pelas Diretorias Regionais de Educação (DRE), o Tocantins conseguiu destaque nacional no índice de participação de educadores com propostas de adequação da parte diversificada da Base Nacional Comum Curricular.

De acordo com os dados apresentados pela assessora de Currículo do Ensino Fundamental, Maria Rita Labanca, que foi auxiliar de pesquisa junto à BNCC, o Tocantins teve 547 mil participações diretas na construção da proposta curricular, ficando na sexta posição nacional em número de contribuições, à frente de estados como São Paulo, Minas Gerais e o Distrito Federal. Ao Todo, o Brasil teve mais de 12 milhões de contribuições de todos os estados.

“Por sermos um estado pequeno, comparado com outros, nós fizemos muito bonito. Isso mostra que o nosso trabalho deu certo, pois este era o momento de os educadores contribuírem diretamente para a elaboração da nova base curricular. Outros países que realizaram esta busca obtiveram resultados muito positivos”, completou.

As informações foram apresentadas durante encontro com os diretores regionais de Educação, realizado na Seduc. Para a diretora de Colinas, Teônia Cássia de Moura Medeiros, o trabalho de articulação feito junto às escolas foi preponderante para que o Tocantins, com seus 1,5 milhão de habitantes, conseguisse um ótimo número de contribuições para a ressignificação curricular.

“Nós fizemos um trabalho praticamente no corpo a corpo junto às escolas e aos professores. Não poderíamos deixar passar uma chance dessas para conseguirmos dar nossas sugestões e construirmos juntos um novo currículo escolar. Esse era o momento para promovermos a mudança e acredito que o trabalho rendeu bons frutos”, destacou.

Seminário

Após o cadastramento das propostas de adequações da parte diversificada da BNCC, os especialistas irão analisar e realizar uma filtragem em todas as sugestões encaminhadas por meio do portal da Base. Passado esse momento, as que tiverem substancial relevância serão reencaminhadas para cada estado que irão elaborar, por meio de seminário, a proposta estadual oficial. No Tocantins, a previsão é que o Seminário Estadual para a elaboração da proposta seja realizado na segunda quinzena de maio.

“Durante o seminário nós iremos analisar a 2ª proposta, já com todas as alterações. O que for debatido, votado e decidido no seminário estadual, nós iremos formalizar um documento com a proposta oficial do Tocantins para a parte diversificada da BNCC”, concluiu Maria Rita Labanca.