Meio Ambiente

O mês de março de 2016 pode ser considerado o de menor precipitação hídrica em período chuvoso dos últimos anos. Outro fator agravante se dá pelo aumento dos registros de focos de calor entre os meses de janeiro a março deste ano.

De acordo com os dados coletados pela Sala de Situação da Defesa Civil Estadual, tendo como base os índices apontados pelo Instituto Nacional de Meteorologia, dos 14 municípios tocantinenses monitorados, apenas Palmas e Pedro Afonso registraram precipitações dentro da normalidade. Ao contrário do mês de janeiro, onde foram registrados acúmulo de chuvas que resultaram no aumento da vazão das hidrelétricas instaladas no Estado, a partir do mês de fevereiro foram registradas baixas precipitações hídricas em praticamente todas as cidades tocantinenses.

Segundo o coordenador do Núcleo Estadual de Meteorologia e Recursos Hídricos (Nemet – RH) da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins), a influência do fenômeno climático El Niño ainda permanece, sendo que no Tocantins, o mês de abril é considerado o período de transição do período chuvoso para o seco. “Como já tivemos baixa precipitação hídrica em diversas regiões no Estado é possível que as chuvas deverão diminuir neste mês”, afirmou.

Focos de Calor

De acordo com dados registrados pela Defesa Civil, de janeiro a março, foram registrados 591 focos de calor no Estado, sendo 42 em janeiro, 383 em fevereiro e 165 focos no mês de março.

Por: Redação

Tags: Defesa Civil