Campo

Foto: Divulgação

Aprender com o outro a fazer diferente. Esse foi o ponto alto da Capacitação Tecnológica em Reprodução e Biotecnologia da Reprodução de Ovinos, segundo os 22 instrutores do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) de 19 estados (Tocantins, Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo, Alagoas, Goiás, Distrito Federal, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Sergipe, Maranhão, Pará, Bahia, Piauí, Santa Catarina, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Sul). A capacitação foi realizada numa propriedade rural parceira do Senar, localizada na divisa entre o Estado de Goiás e o Distrito Federal. Do Tocantins participou a assessora Técnica do Senar, Mara Luce Borges Leal.

“O Senar se preocupa em sempre qualificar seus instrutores para levar informação de qualidade ao produtor rural, e essa capacitação foi extremamente rica não só pelo que foi ministrado, mas pelas trocas que aproximaram os profissionais e garantiram que saíssem querendo fomentar ações para melhorar o setor produtivo”, pondera a assessora técnica da entidade, Thais Carrazza.

Para os instrutores, a troca de experiências vai fazer a diferença na ponta, quando forem ministrar os treinamentos para os produtores rurais.

Melhorias para o setor

O assessor técnico da Comissão Nacional de Ovinos e Caprinos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Rafael Linhares, esteve com os instrutores.

Ele apresentou as ações da Comissão de Caprinos e Ovinos da CNA previstas para 2016.  Segundo o assessor técnico, entre as ações apresentadas, a Comissão irá ter como base o Diagnóstico Nacional da Ovino Caprinocultura que apontou, em 2011, as principais demandas do setor. As demandas foram avaliadas e contribuirão para elaboração de um plano nacional de desenvolvimento da cadeia. Além disso, pretende-se revisar o Programa Nacional de Sanidade de Caprinos e Ovinos – PNSCO e realizar os painéis Campo Futuro específico para ovinos e caprinos.

“É uma oportunidade falar para técnicos multiplicadores das regionais do Senar sobre as ações da Comissão em prol da ovino e caprinocultura nacional. Percebi o elevado nível técnico que o curso está proporcionando”, disse Rafael Linhares.

A capacitação teve duração de 33 horas, dividida em aulas práticas e teóricas. Na sexta-feira (1º), os instrutores fizeram aulas de laboratório, para avaliação andrológica de sêmen, praticaram no aparelho de ultrassom com ovelhas prenhas e ainda acompanharam a realização de um parto.  

Outras cadeias

O Senar conta com mais nove capacitações tecnológicas nas cadeias da Silvicultura, Heveicultura, Floricultura, Ovinocultura, Piscicultura, Bovinocultura de leite e de corte, Suinocultura e Integração Lavoura-pecuária-floresta (ILPF). Os cursos são ofertados também a distância via portal EaD Senar. São destinados a produtores, trabalhadores rurais e profissionais que possuam formação técnica/superior em áreas relacionadas às Ciências Agrárias. Em 2015, a capacitação EaD em Ovinocultura teve, nos dois cursos ofertados (Produção e Comercialização da Carne Ovina e Pastagem para Ovinocultura), mais de 3,9 mil participantes. Para mais informações sobre as capacitações, acesse www.senar.org.br/ead