Economia

Foto: Divulgação

Em um trabalho de fiscalização, foram apreendidas pelos auditores fiscais, Carlos Freire e José Calazâncio que estavam de plantão no Posto Fiscal Talismã, região sul do Tocantins, nesta sexta-feira, 8, um carregamento de 438 cabeças de bezerros sendo transportados em desacordo com a legislação fiscal.

O gado apreendido estava sendo transportados em 5 carretas e  era originado do Estado do Maranhão dos municípios de Açailândia e Formosa da Serra Negra com destino aos Estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. A carga foi avaliada em R$ 593.095,00 (quinhentos e noventa e três mil e noventa e cinco reais). Segundo os auditores, o motivo da apreensão foi devido ao transporte estar com documentação inidônea. Logo após o recolhimento do imposto e multa o carregamento foi liberado para seguir viagem ao seu destino.

O gado teve inicio do trânsito pelo Estado do Tocantins no posto fiscal desativado Filadélfia que por não haver posto fiscal e a presença do fisco, não foi providenciado o passe fiscal que é exigido pela legislação para o controle de trânsito de gado bovino, conforme portaria Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) 1053 de 18 de setembro de 2015.

Segundo a Associação dos Funcionários do Fisco do Estado do Tocantins (Asfeto), as fronteiras abertas são um convite aos sonegadores e fraudadores do fisco.

O sucesso da operação só foi possível, segundo a Asfeto, devido ao envolvimento e profissionalismo dos auditores fiscais que ao investigar a operação descobriram outras irregularidades.

Toda a ação fiscal teve o acompanhamento e apoio da supervisora do posto fiscal do Talismã, Elis Regina. A supervisora alerta os contribuintes que observem com rigor toda a documentação fiscal antes de transportar gado para o Estado ou em trânsito pelo mesmo, porque as atividades de fiscalização, segundo ela, estão sendo rotineiras.