Campo

Foto: Wladimir Machado

Visando organizar e promover o desenvolvimento da piscicultura no Tocantins, por meio da organização do setor e fomento da cadeia produtiva, foi realizada nesta terça-feira, 12, na sede da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura (Seden,) uma reunião com instituições ligadas ao setor para formação de um  grupo gestor. Na oportunidade, foi apresentada uma proposta de plano de ações de fortalecimento do Arranjo Produtivo Local (APL)  da Aquicultura no Estado.

Durante a reunião, presidida pelo gerente de Arranjos Produtivos Locais da Seden, Marcondes Martins, juntamente com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro), Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder) e representantes do frigorífico de peixe Piracema, foram discutidas as propostas para organização do Núcleo Gestor da Piscicultura de apoio ao APL da Piscicultura, onde também foram definidas ações prioritárias para o fortalecimento do setor.

De acordo com Marcondes Martins, ficou definido que a próxima etapa para formação do grupo gestor será a mobilização de outras instituições, produtores, e associação de pescadores para que componham o núcleo e possa ser formalizada a criação do grupo gestor.

“As ações para criação desse grupo vêm sendo construídas desde junho de 2015. Diversas reuniões foram realizadas para elaborar e apresentar o diagnóstico da cadeia produtiva da piscicultura, além das demandas do setor no Estado. A partir da criação do grupo gestor, será possível identificar os problemas e encontrar as soluções para a consolidação e desenvolvimento da atividade”, disse o gerente, ressaltando que as ações do plano pretendem oferecer informações  e subsídios aos parceiros para apoiar e promover o desenvolvimento do APL da Aquicultura e Pesca do Tocantins.

De acordo com o plano de ações proposto pela Seden para promover o desenvolvimento da piscicultura no Estado, é necessária a agregação de valor, aumento de escalas de produção, da qualidade e da eficiência logística para garantir o acesso às oportunidades existentes do setor, além da necessidade de desburocratizar o sistema de licenciamento ambiental e o combate à entrada de produto clandestino.

A piscicultura é um dos setores do agronegócio que mais cresce no Tocantins. Além disso, o Estado possui um grande potencial favorável à produção de peixes e uma enorme variedade de espécies, sendo bastante apreciadas no mercado. Entre os anos de 2000 e 201,1 o setor acumulou um crescimento da ordem de 833%, alcançando um total de 12.412 toneladas.

Segundo dados da Seagro, atualmente existem no Tocantins 37 colônias de pescadores com cerca de 2 mil empreendimentos, com produção de pescado ao ano em torno de 18 mil toneladas, e conta com quatro frigoríficos com certificado do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e mais dois frigoríficos em fase de construção. O Tocantins ocupa a 15ª posição no Ranking Nacional na produção de pescado, com destaque para região sudeste do Estado.

Por: Redação

Tags: Aquicultura, Marcondes Martins, Piscicultura