Estado

Foto: Íris Silva

A Comunidade Quilombola Barra da Aroeira fará parte de estudo geográfico da Universidade Federal do Tocantins (UFT), isso se confirmou com a visita de acadêmicos e da orientadora do curso de Geografia, disciplina Geografia Cultural, do Campus de Porto Nacional.

Na ocasião, os acadêmicos vivenciaram a teoria e prática de campo usando uma metodologia participativa entre a comunidade e acadêmicos, visitando os locais pitorescos, tais como Morro do Homem e córrego Baixa Boa; apreciaram a gastronomia quilombola preparada pelas anfitriãs jovens Elais Rodrigues e Andreia Rodrigues, o artesanato e os biomas da região; acompanharam a confecção de balaios; ouviram relatos da comunidade relacionados aos direitos humanos e políticas públicas que lhes são negadas.

Os relatos foram repassados pelas líderes comunitárias, Isabel Rodrigues, Ermínia Rodrigues, pedagoga Salviana Rodrigues, jornalista Íris Silva e a pesquisadora em saúde Ana Marise.

A mestranda Gláucia Bastos, agradeceu pelo acolhimento e destacou o aprendizado que a turma teve com a pesquisa campo realizada durante todo o dia. “agradecemos por permiti que conhecêssemos um pouco da história de vocês”. Destacou a mestranda.

Finalizando a visita, a professora doutora, Caroline Machado Busch Pereira, que acompanhou o grupo, destacou a experiência do dia e as intervenções que podem ser realizadas no local. “Desta forma, estamos trazendo a universidade para fora dos muros, proporcionando troca de saberes entre acadêmicos e comunidade. Agora a Barra fará parte do estudo geográfico da UFT”. Disse a orientadora.

A pesquisa campo aconteceu no final de semana e deixou os acadêmicos empolgados com o que viram.