Polí­tica

Foto: Sara Cardoso

Um momento de se discutir os problemas e avanços do Sistema Único de Saúde (SUS), dividindo experiências que podem levar cada estado participante a mudar paradigmas em processos e ações de promoção da saúde pública. Este é o perfil do 4º Congresso Norte e Nordeste de Secretarias Municipais de Saúde e 2º Congresso de Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins, que teve abertura oficial na noite desta segunda, 18, e segue até quarta-feira, 20, no Centro de Convenções Parque do Povo com tema: “Transparência na Gestão do SUS e as Especificidades nas Regiões Norte e Nordeste”.

Dentre os assuntos a serem debatidos estão a governança e regionalização em saúde; escuta e participação social; o direito à saúde e diversidade e transparência na Gestão Pública, o que para o secretário executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Jurandi Frutuoso, é essencial . “O congresso dissemina informações de maneira homogênea que a atual conjuntura da saúde pública do Brasil, com a instabilidade política, precisa. Os problemas do SUS não são poucos e este congresso permite que cada secretário encontre novas estratégias para e os desafios para sair com um SUS mais fortalecido”, afirmou.

Segundo o secretário de Estado da Saúde do Tocantins, Marcos Musafir, o congresso traz a importância da transparência no SUS e de se fortalecer o sistema de saúde. “A partir deste evento, sem dúvida, poderemos ter novos conhecimentos que nos permitam ofertar à população uma saúde cada vez melhor. Aqui serão congregadas experiências inovadoras e conhecimentos que nos permitirão encontrar soluções e avançar em uma melhor prestação de serviços dentro do Sistema Único de Saúde”, destacou.

O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Tocantins (Cosems), Vânio Rodrigues de Souza, falou de suas expectativas em relação ao evento. “Nos sentimos muito honrados, enquanto tocantinenses, em sediar um evento desta importância, que é o maior congresso regional do país, e esperamos que as discussões que aqui ocorram possam contribuir para que as políticas públicas de saúde aconteçam na vida dos munícipes daqueles que aqui estão. Faremos um avanço a partir de uma autoanalise de como temos nos portado, para a partir daí termos ações futuras que corroborem com um melhor sistema de saúde”.

Para a promotora de justiça, Maria Roseli de Almeida Pery, “a transparência é o caminho para o aprimoramento da gestão. Sabemos dos desafios dos secretários municipais para cumprir este processo, com a alimentação do sistema de transparência do SUS, com os devidos instrumentos que a legislação exige. Este é o caminho para um olhar diferenciado por parte do Ministério da Saúde nas especificidades das regiões Norte e Nordeste, que dentre outras problemáticas enfrentam desafios na área da vigilância, no enfrentamento das doenças negligenciadas. Recebemos o evento com otimismo, pois todos que participam dele terão mais conhecimento ao sair daqui e ao retornar aos seus estados terão condições de dar sua contribuição para a melhoria da saúde pública”.

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antônio Carlos Figueiredo Nardi, destacou a importância dos gestores em conhecer o SUS e se comprometer com o fortalecimento do sistema. “As canetas mais pesadas precisam saber aquilo que é o SUS e o que é o dar tudo para todos e isso é o que realmente temos que discutir para enriquecer a gestão, com busca de financiamentos adequados e qualificação das equipes técnicas. Por tudo isso, um congresso como este é de uma grandeza inigualável para garantir que o SUS, este sistema nosso, que construímos para nosso povo, seja fortalecido e que a região Norte e Nordeste seja atendida dentro de suas demandas específicas”, afirmou.

Mostra

Durante o evento acontecerão também a II Mostra Norte e Nordeste de Experiências na Atenção Básica: As Especificidades nas Regiões Norte e Nordeste, e II Mostra de Experiências Municipais de Saúde do Tocantins: A vigilância em Saúde no Tocantins. Essas duas atividades têm como objetivo de difundir as diversas ações e experiências que envolvem profissionais e gestores de saúde.

Público alvo 

O 4º Congresso tem como público-alvo, gestores municipais de saúde, técnicos da gestão municipal, profissionais técnicos e administrativos da área da saúde e comunidades científicas e acadêmicas. A programação completa pode ser acessada no www.4congressonortenordeste.com.br.