Educação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintet), regional de Palmas, realiza neste sábado, 30, na Escola Municipal de Tempo Integral Eurídice Ferreira de Melo, no Aureny III, assembleia com os educadores de Palmas para discutir acordos não cumpridos pela gestão, referente a greve de 2015.

De acordo com a categoria, desde 2014 a Prefeitura de Palmas não paga direitos de carreira da educação. Para a classe, "a gestão trata com total descaso as reivindicações pertinentes à educação", segundo o Sintet. A climatização nas escolas, uma das pautas, não foi atendida, segundo Sindicato. 

Segundo o acordo de greve celebrado entre Sintet e o comitê gestor municipal ano passado, dia 30 de abril, seria o último dia para publicação das progressões e titularidades da categoria.

Os educadores também consideram como autoritarismo o corte de ponto feito pela Prefeitura de Palmas aos trabalhadores que participaram de movimento na Câmara no último mês de março, contra a Medida Provisória (MP 04) que alterava o estatuto do PreviPalmas. "O Sintet orientou as escolas a encaminharem propostas de reposição mas a Secretaria de Educação de Palmas (Semed) não atendeu, nem respondeu aos comunicados e em atitude de represália acabaram cortando o ponto dos educadores", segundo o Sintet. 

Por: Redação

Tags: Eurídice Ferreira de Melo, Sintet